Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Governo aprova mais de 250 projetos de investimento no setor agrícola

O Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje a aprovação de mais de 250 projetos de investimento no setor agrícola, dos cerca de 300 que foram apresentados no anterior Quadro Comunitário de Apoio e que o Executivo conseguiu que transitassem para o atual período de programação financeira.

Vasco Cordeiro revelou que estes projetos de investimento correspondem a mais de 26,5 milhões de euros de apoios ao investimento privado, a que os empresários agrícolas e agroindustriais dos Açores poderão aceder logo que a União Europeia aprove o PRORURAL+, acrescentando que os respetivos contratos de financiamento já foram enviados aos beneficiários.

“Desse total de projetos aprovados, mais de 170 destinam-se à modernização das explorações agrícolas, representando um investimento superior a 15 milhões de euros, mais de 40 à instalação de jovens agricultores, num valor superior a 1,5 milhões de euros, e três à transformação, com perto de 8,7 milhões de euros”, especificou o Presidente do Governo, que falava na inauguração da nova fábrica de rações do Grupo SICOSTA, na Lagoa, em S. Miguel.

Para Vasco Cordeiro, esta nova fábrica, que o Governo dos Açores apoiou através do PRORURAL, representa “um sinal de confiança” na economia e no futuro dos Açores, frisando que “a confiança é um ativo fundamental para respondermos positivamente aos desafios com que estamos confrontados”.

“Acreditamos nos empresários Açorianos e incentivamos essa sustentada confiança na nossa capacidade coletiva de vencer os desafios, e de, em conjunto, construir o nosso futuro”, frisou Vasco Cordeiro, assegurando que o Executivo Regional apoia essa “vontade de construir soluções que criem valor e emprego, através da canalização estratégica de fundos para medidas que contribuam para a modernização e inovação das nossas unidades fabris de transformação, quer no setor do leite, quer no da carne”.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou ainda a resposta positiva que o setor agrícola açoriano sempre deu aos desafios com que foi confrontado ao longo dos anos, considerando que é “um exemplo de como, em espírito de parceria e com um elevado grau de compromisso, entidades públicas e entidades privadas conseguem fazer mais e melhor pelo desenvolvimento da nossa terra”.

Nesse sentido, recordou a medida criada para apoiar a instalação de jovens agricultores, que ultrapassou as expetativas, o mesmo sucedendo com as candidaturas apresentadas para os apoios à modernização das explorações agrícolas, que também ultrapassaram largamente as previsões.

Relativamente ao PRORURAL, Vasco Cordeiro anunciou que, embora estando a decorrer ainda o período normal de pagamento de apoios e ajudas diretas relativas ao anterior Quadro Comunitário de Apoio, conforme o calendário de pagamentos oficial que se prolonga até meados do próximo ano, “efetuamos esta semana a antecipação do pagamento de mais de 7,5 milhões de euros das ajudas à Manutenção da Atividade Agrícola em Zonas Desfavorecidas”.

“Um valor que corresponde a 75% da ajuda direta, o máximo permitido pelo regulamento europeu, e cujo pagamento só seria feito, não fosse esta decisão do Governo dos Açores, no final deste ano”, frisou.

Por outro lado, salientou que, no final deste mês de outubro, será feita a “antecipação, em cerca de dois meses, do pagamento das ajudas agroambientais, no valor de aproximadamente 6,5 milhões de euros”.

“O trabalho que, em parceria, desenvolvemos no setor agrícola nunca é uma tarefa acabada. Novos desafios colocam-se sempre a este setor, os quais serão mais facilmente debelados numa conjugação de esforços entre todas as entidades que, direta ou indiretamente, nele intervêm e dele dependem”, afirmou Vasco Cordeiro.

“O Governo dos Açores está pronto para assumir o seu papel, na perspetiva de criar as condições para reduzir os custos de produção, de transformação e de comercialização dos nossos produtos, apoiando tanto o nosso setor agrícola, como a nossa agroindústria”, assegurou.

“Muito tem sido feito e temos ainda, todos, muito trabalho pela frente. Os desafios que temos pela frente exigem, de todos nós, uma resposta firme e determinada. Exigem que todos nos comprometamos em dar o nosso melhor”, frisou o Presidente do Governo, manifestando a convicção de que “a agricultura e a agroindústria açorianas estão hoje mais fortes e mais aptas a enfrentar os desafios, sendo, também por isso, parceiros insubstituíveis da Governo no processo de desenvolvimento e de progresso que queremos continuar a concretizar”.
GaCS/PC

Doentes crónicos têm acesso a todos os exames necessários

O Secretário Regional da Saúde afirmou que as declarações sobre convenções e reembolsos veiculadas hoje por partidos da oposição “transmitem ideias falsas”, assegurando que “nem os doentes crónicos, nem os restantes utentes, são penalizados com a entrada em vigor das novas portarias”.

Luís Cabral frisou que os doentes com patologias especiais são acompanhados pelos hospitais e centros de saúde e, desse modo, “têm acesso a todos os exames e análises necessários, sem qualquer limitação”.

“Também é falso que o sistema fique mais caro para os utentes”, disse o Secretário Regional da Saúde, salientando que, pelo contrário, “os valores de reembolsos previstos em várias consultas, ecografias e exames imagiológicos apresentam um aumento significativo”.

Na resposta a declarações feitas pelos partidos da oposição, Luís Cabral lembrou que este regime de reembolsos “que o Governo pretende manter nos Açores, ao que contrário do que acontece no continente”, representa uma ajuda complementar aos utentes que, por opção, utilizam os serviços privados de saúde em vez do serviço público.

O Secretário Regional salientou ainda que as portarias que entram em vigor quarta-feira, 1 de outubro, pretendem “trazer mais transparência e mais rigor ao sistema”, tendo como objetivo “manter o mesmo nível de atendimento e, inclusive, melhorá-lo”.
GaCS/RC

Governo dos Açores prevê investimento público de 731 milhões de euros em 2015

O Vice-Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje “um acréscimo de 70 milhões de euros” ao total de investimento público inicialmente previsto na proposta de Plano Anual para 2015, hoje apresentada aos parceiros sociais numa reunião do Conselho Regional de Concertação Estratégica realizada em Ponta Delgada.

Sérgio Ávila sublinhou que os 731 milhões de euros de investimento previsto representam um aumento de 11 por cento em relação ao Plano ainda em vigor e configuram “um enorme esforço, por parte do Governo dos Açores, para dar o seu contributo para uma retoma da atividade económica e dos indicadores sociais” da Região.

O Plano Regional para 2015, segundo Sérgio Ávila, “é essencialmente dirigido a três objetivos”, designadamente “aumentar a competitividade das empresas e a empregabilidade dos Açorianos, apoiar a inclusão social e a qualificação dos Açorianos e reforçar as infraestruturas, particularmente as redes regionais de transportes”.

No que se refere às principais dotações previstas no documento, Sérgio Ávila salientou o programa ligado aos transportes e à investigação científica, com 169 milhões de euros, o programa da competitividade empresarial e emprego, com 155 milhões, o programa ligado à agricultura e desenvolvimento do mundo rural, com 145 milhões, e a educação e cultura, com 77 milhões de euros.

“São estas as prioridades que definimos, em termos de intensidade de apoio”, referiu o Vice-Presidente do Governo, não descartando a análise e o acolhimento de propostas dos parceiros sociais.

Sérgio Ávila sublinhou, aliás, “a satisfação que foi manifestada pelos parceiros sociais por esta proposta, designadamente por este aumento do investimento público em todas as áreas e em todas as ilhas”.

“Cerca de 50 por cento do Plano é para aumentar a competitividade das empresas e para promover o emprego e cerca de 25 por cento do Plano destina-se a apoiar a coesão social e a inclusão dos Açorianos, sendo os restantes 25 por cento para as redes de infraestruturas, particularmente os transportes”, frisou o Vice-Presidente.
GaCS/CT

Portugal no 21.º lugar em `ranking` de 37 países relativo ao salário médio anual

(Lusa) — Portugal ocupa a 21.ª posição entre 37 países da Europa, Médio-Oriente e África no que se refere ao salário médio líquido anual de um profissional sénior, num `ranking` liderado pela Suíça, Noruega e Dinamarca.
De acordo com as conclusões de um estudo da consultora Mercer sobre os custos totais do trabalho no mundo, hoje divulgado, em Portugal o valor
médio de salário líquido anual para profissionais seniores é de 28.194
dólares, o que compara com os 129.329 dólares da líder Suíça, os 98.778 dólares da Noruega (que surge na segunda posição) e os 95.137 dólares da
Dinamarca (terceiro lugar).
Quanto ao continente americano, o primeiro lugar é ocupado pelo Canadá,
que regista um valor de 64.107 dólares, seguido dos EUA (61.152 dólares) e de Porto Rico (55.897 dólares), enquanto em último lugar surge o México, com 22.317 dólares.

Indicador de confiança dos Consumidores aumenta e indicador de clima económico suspende trajetória de crescimento – Setembro de 2014

O indicador de confiança dos Consumidores aumentou ligeiramente em setembro, atingindo o valor mais elevado desde outubro de 2006 e retomando a acentuada tendência ascendente observado desde o início de 2013.
O indicador de clima económico estabilizou, no mês de referência, no valor máximo desde julho de 2008, suspendendo o perfil crescente iniciado em janeiro de 2013. Em setembro, o indicador de confiança aumentou na Indústria Transformadora e diminuiu na Construção e Obras Públicas, no Comércio e nos Serviços.

Investimento público aumenta mais de sete por cento em 2015, anuncia Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje um aumento de mais de sete por cento do investimento público para o próximo ano, o que representará um total de mais de 700 milhões de euros.

“Na sequência do trabalho que o Governo dos Açores tem desenvolvido, assim como do processo de auscultação dos parceiros sociais, contemplamos nesta proposta de Plano para 2015 um total de mais de 700 milhões de euros de investimento público”, afirmou Vasco Cordeiro aos jornalistas.

O Conselho do Governo reuniu-se hoje, em Ponta Delgada, para a aprovação da anteproposta do Plano de Investimentos para 2015, que será terça-feira submetida à apreciação do Conselho Regional de Concertação Estratégica. Posteriormente, será aprovada a proposta que será enviada à Assembleia Legislativa para debate e votação.

Vasco Cordeiro, depois de salientar que se verifica um aumento do investimento público em todas as ilhas da Região, apontou o exemplo da área da Qualificação dos Açorianos, que terá um reforço de cerca de 10 milhões de euros, não apenas para a requalificação de escolas como a da Ribeira Grande, da Calheta de São Jorge, da Canto da Maia e dos Arrifes, mas também para projetos pedagógicos no âmbito do combate ao insucesso e ao abandono escolar precoce.

No que diz respeito à Competitividade das Empresas e às Políticas Geradoras de Emprego, o Presidente do Governo anunciou que o Plano para 2015 prevê um aumento de cerca de 12 milhões de euros nos recursos públicos especificamente dirigidos para esta área.

Segundo Vasco Cordeiro, o Executivo Açoriano prevê, por outro lado, reforçar a área da Solidariedade Social em cerca de 4,5 milhões de euros, enquanto para a Agricultura está previsto um reforço de cerca de três milhões de euros, mesmo apesar dos recursos públicos que foram libertos com a conclusão, este ano, de importantes investimentos, como é o caso do Pavilhão de Exposições de São Miguel.

No que tem a ver com a Promoção e Desenvolvimento do Turismo, o Governo dos Açores pretende proceder a um aumento de cerca de quatro milhões de euros, tendo a área da Ciência um crescimento muito significativo, superior a 70 por cento.

“Trata-se de um Plano para que, nas mais diversas áreas, possamos conduzir a Região para, o mais rapidamente possível, atingir os objetivos no que tem a ver com a competitividade da nossa economia, com a qualificação dos Açorianos e com o combate ao desemprego”, frisou Vasco Cordeiro.
GaCS/PC

Proteção Civil alerta para chuva em todo o arquipélago dos Açores

O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) informa que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a instabilidade associada a uma depressão em cavamento, localizada a sudoeste dos Açores, deverá provocar um agravamento do estado do tempo nas próximas horas, com precipitação intensa, por vezes acompanhada de trovoadas.

Assim, emite-se:

Para o Grupo Ocidental

Aviso AMARELO referente a:
PRECIPITAÇÃO
No período entre as 15H00 de hoje, 29 de setembro, e as 03H00 de terça-feira, 30 de setembro.

Para o Grupo Central

Aviso AMARELO referente a:
PRECIPITAÇÃO
No período entre as 18H00 de hoje, 29 de setembro, e as 06H00 de terça-feira, 30 de setembro.

Para o Grupo Oriental

Aviso AMARELO referente a:
PRECIPITAÇÃO
No período entre as 21H00 de hoje, 29 de setembro, e as 06H00 de terça-feira, 30 de setembro.

O SRPCBA recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, em particular nas zonas mais vulneráveis, recomenda-se a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas e a retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento.

Manter limpos os sistemas de drenagem e consolidar telhados, portas e janelas.

Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, como andaimes, placards e outras estruturas montadas ou suspensas.

Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas.

Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar.

Estar atento às informações e indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
GaCS/SRPCBA

Primárias 2014: Açores

IMG_0995.PNG

 

Governo dos Açores reforça apoio ao Turismo em Espaço Rural

O Secretário Regional do Turismo e Transportes anunciou hoje, na Terceira, que o Governo dos Açores vai reforçar o apoio aos empresários que investem no Turismo em Espaço Rural.

Vítor Fraga, que falava aos jornalistas à margem de uma visita à Quinta do Martelo, para assinalar o Dia Mundial do Turismo, revelou que, ao abrigo do novo Quadro Comunitário de Apoio e do Sistema de Incentivos Competir+, nomeadamente o Subsistema de Incentivos para o Fomento da Base Económica de Exportação, será reforçado este apoio, “permitindo que a componente de apoio financeiro possa variar entre 55 e 65%, e isto é fundamental, numa perspetiva de que o Turismo em Espaço Rural contribui de uma forma determinante” para a qualificação da oferta turística dos Açores.

O titular da pasta do Turismo frisou que os Açores são “um caso de sucesso único no país, ao nível do desenvolvimento do Turismo em Espaço Rural”, salientando que cerca de 10% das camas disponíveis estão nas unidades de alojamento deste tipo.

“Não nos podemos esquecer que o Turismo em Espaço Rural se caracteriza pela recuperação do nosso património, por uma ligação muito direta àquilo que é a nossa cultura, as nossas tradições e, dado o seu enquadramento e a sua envolvência, é aquele que potencia uma maior relação entre aqueles que nos visitam e as nossas gentes, a nossa comunidade local”, afirmou Vítor Fraga.

“É isto que temos de potenciar, no sentido de contribuir de uma forma cada vez mais ativa para o desenvolvimento das economias locais, potenciando assim o crescimento e tirando partido de um dos setores que consideramos estruturante para o desenvolvimento da Região”, acrescentou.

Para o Secretário Regional do Turismo e Transportes, este tem sido um caminho percorrido, em conjunto, pelos empresários açorianos, com o apoio natural do Governo dos Açores, salientando que ainda há “um grande potencial para desenvolver”.
GaCS/HB

Vasco Cordeiro defende reforço da cooperação europeia para colocar potencial do Mar ao serviço das regiões

O Presidente do Governo dos Açores defendeu hoje um reforço da cooperação entre as cerca de 150 regiões que integram a Conferência das Regiões Periféricas Marítimas (CRPM) e as instituições europeias, para que seja possível colocar o potencial da Política Marítima Europeia ao serviço das regiões e das suas populações.

“O nosso maior desafio prende-se com a forma como esse potencial deverá ser posto ao serviço das nossas regiões e das nossas populações, nomeadamente através do reforço do nosso trabalho e da troca de conhecimento e de boas práticas em áreas como a biotecnologia azul, investigação marinha e marítima, indústria naval, emprego e formação, turismo marítimo e costeiro e pesca”, afirmou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo discursava após ter sido eleito, esta quinta-feira, na cidade sueca de Umea, Presidente da CRPM, uma organização de cooperação inter-regional que integra regiões de 28 Estados Europeus, agregando cerca de 200 milhões de cidadãos europeus.

A CRPM tem por missão a defesa dos interesses dos seus membros junto de instituições nacionais e europeias, através da promoção da coesão territorial e do poder regional na Europa, bem como do reforço da dimensão periférica e marítima da União.

Na sua primeira intervenção como Presidente da CRPM, Vasco Cordeiro salientou ser este o momento para a organização reforçar a sua atitude proativa, tendo em conta a segunda fase de desenvolvimento da Política Marítima Integrada.

Nesse sentido, preconizou que a CRPM deverá usar a sua rede de regiões-membro, assim como o seu conhecimento e experiência, para demonstrar, a um nível europeu mais amplo, as possibilidades do chamado ‘crescimento azul’ e o potencial de desenvolvimento de atividades relacionadas com o mar, sem descurar a componente ambiental da sua implementação.

“O território marítimo das regiões-membro da CRPM tem um enorme potencial de crescimento e desenvolvimento que beneficiará a Europa, proporcionando vantagens únicas que resultam de sua natureza marítima e periférica, a sua diversidade e a sua relevância política e institucional”, disse.

De acordo com Vasco Cordeiro, o chamado ‘crescimento azul’ representa, assim, uma prioridade para a CRPM, no âmbito de estratégia que está intimamente ligada à inovação, pesquisa, desenvolvimento de novas tecnologias e produtos comercializáveis, aproveitando os recursos biológicos, minerais e energéticos do mar.

No que respeita à Política de Coesão, e tendo em conta que se aproxima o período de implementação dos Acordos de Parceria e Programas Operacionais, Vasco Cordeiro defendeu que a CRPM deve prestar especial atenção aos desafios que se colocam às regiões no período 2014-2020, protegendo os seus interesses e esclarecendo questões relevantes junto da Comissão Europeia com o intuito de preparar, no devido tempo, o próximo período de negociações.

“Nesta matéria, torna-se importante sublinhar o nosso compromisso com o desenvolvimento harmonioso da Europa, que respeite as diferentes realidades das nossas regiões e proporcione resultados concretos para os nossos cidadãos, especialmente para os mais jovens”, preconizou o Presidente do Governo, para quem a criação de emprego exige respostas concretas e eficazes.

“Se nós, enquanto líderes, falharmos para com esta geração, estaremos a falhar no cumprimento do objetivo de assegurar a esperança e o desenvolvimento enquanto eixos fundamentais na construção deste projeto comum”, afirmou.

Nesse sentido, Vasco Cordeiro destacou que este é também o momento para a CRPM dar prioridade a uma ação que privilegie os princípios da solidariedade, da coesão e da territorialidade, os quais têm sido prejudicados nos últimos anos, e que continue a servir como defensora desses princípios em Bruxelas.

“Esta dimensão territorial também está claramente associada ao trabalho a ser realizado no domínio das acessibilidades, a fim de se criar uma rede de transportes não-discriminatória e integrada na Europa, uma rede que deve servir regiões periféricas e marítimas”, salientou Vasco Cordeiro.

Governo dos Açores anuncia sistema de incentivos à manutenção de paisagens tradicionais

O Secretário Regional da Agricultura e Ambiente anunciou, em São Jorge, que o Governo dos Açores vai disponibilizar um sistema de incentivos à manutenção de paisagens tradicionais em todo o arquipélago.

“Estamos a preparar o quadro normativo de um sistema de incentivos à manutenção de paisagens tradicionais integradas em áreas classificadas em toda a Região, incluindo, designadamente, as paisagens de vinha e pomares em currais, em fajãs e em socalcos”, revelou Luís Neto Viveiros, que falava quinta-feira no Seminário ‘Reservas da Biosfera – Um contributo para o desenvolvimento local’.

Na intervenção que proferiu na sessão de abertura do seminário, integrado no 12.º Encontro Internacional da REDBIOS, Luís Neto Viveiros salientou o “extraordinário sucesso dos últimos anos dos apoios à reabilitação da paisagem da cultura da vinha do Pico”, destacando a “crescente procura das áreas protegidas” pelos turistas que visitam os Açores, ”enquanto espaços privilegiados de atividades e de lazer”.

Nesse sentido, revelou que a Rede de Centros Ambientais dos Açores foi visitada, nos primeiros oito meses deste ano, por mais de 100 mil pessoas.

Para Luís Neto Viveiros, o aumento dos visitantes que procuram Turismo de Natureza “representa novas oportunidades de negócio relacionadas com essa fruição, ao mesmo tempo que acrescenta responsabilidade aos poderes públicos e aos cidadãos em geral na gestão sustentável desses recursos”.

“A conservação da natureza, a biodiversidade e a geodiversidade são prioridades assumidas e reconhecidas pelo Governo dos Açores, por se assumirem como fatores de desenvolvimento local e polos de atração”, afirmou.

Para o Secretário Regional, “o grande desafio passa, necessariamente, por implementar medidas de conservação e de sustentabilidade do Ambiente e, simultaneamente, conseguir que a Natureza, que é um dos principais ativos dos Açores, seja potenciadora de riqueza e de emprego”.

“Estou certo que o seminário que aqui promovemos, em conjunto com a REDBIOS, será mais um contributo para a afirmação destes dois desígnios estratégicos – proteger sem limitar e desenvolver sem destruir – rumo a uns Açores mais sustentáveis, ambiental, económica e socialmente”, frisou Luís Neto Viveiros.

Governo dos Açores aumenta salário mínimo regional para 530,25 euros

O Vice-Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje que o salário mínimo regional “irá aumentar para 530 euros e 25 cêntimos”. Sérgio Ávila salientou que se trata de “um acréscimo de maior dimensão do que no contexto nacional, tendo em conta que, na Região Autónoma dos Açores, implementámos um acréscimo percentual em relação ao salário mínimo nacional”. O governante sublinhou ser por isso que os Açorianos terão como salário mínimo 530,25 euros, “o que representará, sem dúvida, um acréscimo de rendimento”, bem como “um contributo para estimular o consumo e a economia açoriana e para melhorar as condições de vida dos Açorianos”. “O Governo dos Açores sempre defendeu a necessidade da atualização do salário mínimo no contexto nacional, permitindo assim, com a especificidade que a Região tem e com esta bonificação, que os trabalhadores açorianos possam ter um acréscimo salarial numa dimensão superior àquela que se irá registar no resto do pais”, afirmou o Vice-Presidente do Governo.
GaCS/CT

O diretor comercial para Portugal da easyJet admitiu hoje que a companhia aérea pretende colocar à venda o destino Ponta Delgada na primeira quinzena de outubro e começar a voar para os Açores a partir de março de 2015

(Lusa) – O diretor comercial para Portugal da easyJet admitiu hoje que a companhia aérea pretende colocar à venda o destino Ponta Delgada na primeira quinzena de outubro e começar a voar para os Açores a partir de março de 2015. “No início de outubro, iremos colocar à venda os novos destinos. Então, de forma ideal, nós gostaríamos de colocar à venda o destino Ponta Delgada até final da primeira quinzena de outubro”, disse José Lopes aos jornalistas a saída de uma reunião com o Governo Regional dos Açores. O diretor comercial esteve em Ponta Delgada para se inteirar do estado do processo de liberalização de parte do espaço aéreo regional e admitiu que “o prazo começa a ser curto ‘, correndo-se o risco de se fazer “uma operação mais pequena nos Açores” ou de o serviço para o arquipélago ficar em causa.

A Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel informou hoje que o abastecimento aos centros de saúde não será afetado por causa do incêndio que destruiu as suas instalações e que os reembolsos serão retomados na sexta-feira

(Lusa) – A Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel informou hoje que o abastecimento aos centros de saúde não será afetado por causa do incêndio que destruiu as suas instalações e que os reembolsos serão retomados na sexta-feira. Um incêndio destruiu hoje o edifício onde funcionavam, em Ponta Delgada, serviços administrativos da Unidade de Saúde de Ilha (USI) de São Miguel, mas ‘a informação relativa aos processos clínicos dos utentes não foi afetada e encontra-se salvaguardada”, assegura um comunicado enviado à comunicação social. Também o “material clínico perecível que se encontrava armazenado nas instalações não foi afetado e já foi devidamente transferido, em segurança”, continuando a Unidade de Saúde de Ilha de São Miguel “a assegurar, sem interrupções e dentro da normalidade, o abastecimento aos centros de saúde”.

Luís Neto Viveiros considera que a marca ‘Reserva da Biosfera’ é uma forma de colocar “os Açores no mundo”

Secretário Regional da Agricultura e Ambiente afirmou hoje, na Horta, na sessão de boas vindas aos participantes do XII Encontro Internacional da REDBIOS, que a marca ‘Reserva da Biosfera’, já atribuída a três ilhas do arquipélago, constitui uma “forma diferente de pôr os Açores no mundo”.

“O estabelecimento desta marca é um contributo muito importante não só para a valorização dos nossos produtos que, com este selo, obtêm no mercado mais-valias muito significativas, mas também é uma forma diferente, uma forma distinta, de pôr os Açores no Mundo”, afirmou Luís Neto Viveiros, em declarações aos jornalistas.

Para Luís Neto Viveiros, a atribuição do estatuto de Reserva da Biosfera, “além de publicitar os Açores”, representa também “uma garantia de que aqui são preservados valores ambientais, valores de preservação da natureza e valores culturais que hoje em dia fazem parte dos destinos turísticos mais importantes”.

O Secretário Regional considerou “fundamental” o envolvimento das comunidades das ilhas classificadas como Reserva da Biosfera, nomeadamente o Corvo, as Flores e a Graciosa.

Nesse sentido, salientou que, apesar dessa classificação já ter dado “alguns frutos”, uma vez que nas três ilhas que possuem o estatuto de Reserva da Biosfera já existem produtos e marcas que usam esse símbolo, “não podemos ficar por aí”.

“É uma potencialidade que as empresas, as associações, as cooperativas e a população em geral têm de aproveitar, em cada uma das ilhas que já obteve esse galardão, em prol do seu desenvolvimento e da sua prosperidade”, frisou Luís Neto Viveiros.

Relativamente a outros locais ou ilhas que possam ser candidatáveis a este estatuto atribuído pela UNESCO, para além das Fajãs de S. Jorge, o Secretário Regional admitiu que “haverá certamente”, mas frisou que o Governo dos Açores “pretende dar passos certos e seguros e entende que as Fajãs de S. Jorge são o próximo passo”.

Nesse sentido, salientou que será aproveitada “esta visita das regiões e países que estão envolvidos nesta rede para, no próprio local, poderem apreciar as suas caraterísticas e ajudarem a formalizar esta candidatura para que tenha sucesso”, afirmou.

Na cerimónia de boas-vindas, realizada no Centro de Interpretação do Vulcão dos Capelinhos, o Secretário Regional destacou as características “muito próprias” do ponto de vista ambiental, mas também da biodiversidade e da conservação da natureza, assim como os “aspetos culturais das nossas gentes”, que “se coadunam com esse espírito da REDBIOS”.

O Programa MAB – o Homem e a Biosfera (The Man and the Biosphere Programme), criado em 1971, é um programa de cooperação científica internacional sobre as interações entre o homem e seu meio, sendo as Reservas da Biosfera (RBs) a sua principal linha de ação.

Estas reservas são zonas dos ecossistemas terrestres, costeiros e marinhos reconhecidas internacionalmente e concebidas para responder a um dos dilemas do mundo de hoje, nomeadamente saber como conciliar a conservação da Natureza com a procura de um desenvolvimento económico e social e a manutenção dos valores culturais associados.

A REDBIOS é uma rede temática de Reservas da Biosfera da UNESCO da África Ocidental e Macaronésia que pretende, através do intercâmbio de informação e experiências, fomentar o desenvolvimento sustentável das atividades económicas que têm lugar nas áreas de Reservas da Biosfera.

A XII Reunião da REDBIOS que decorre até sexta-feira nas ilhas de São Jorge, Pico e Faial, sob o tema ‘Reservas da Biosfera – Um contributo para o desenvolvimento local’, é uma organização conjunta da UNESCO e do Governo dos Açores.

Decréscimo de 0,5% de desempregados em relação ao mês anterior nos Açores

IMG_0972.PNG

Dívida pública volta a subir em julho, após dois meses de queda – BdP

(Lusa) — A dívida pública na ótica de Maastricht voltou a subir em julho, para os 224.525 milhões de euros, depois de dois meses de recuo, segundo números divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP). De acordo com o boletim estatístico do Banco de Portugal divulgado hoje, a dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas subiu cerca de 0,58%, passando de 223.215 milhões de euros em junho para os 224.525 milhões em julho. A dívida pública nesta ótica tem vindo a crescer consecutivamente desde o início do ano e inverteu a tendência apenas nos meses de maio (224.503 milhões de euros) e de junho (223.215 milhões de euros).

Governo vai continuar a trabalhar para assegurar a excelência operacional do sistema de transportes nos Açores

O Governo Regional vai continuar a trabalhar para “criar condições” que permitam aumentar a mobilidade de todos os Açorianos, num caminho que “está claramente identificado através do Plano Integrado de Transportes”, afirmou hoje, no Corvo, o Secretário Regional do Turismo e Transportes.

Vítor Fraga frisou que esse caminho baseia-se “num conceito de excelência operacional, onde se alia a eficiência de todas as infraestruturas e meios a uma clara orientação para a prestação de um serviço de qualidade a todos quantos utilizam os transportes nos Açores”.

O Secretário Regional, que falava na cerimónia de inauguração da remodelação da Aerogare do Corvo, presidida pelo Presidente do Governo, Vasco Cordeiro, salientou que o Executivo vai “continuar a trabalhar e a desenvolver todo este trabalho, nomeadamente com investimentos que visam dotar de melhores condições todas as ilhas”, para que seja possível “ter um sistema de transportes a funcionar em pleno”.

Nesse sentido, anunciou que o Governo dos Açores vai realizar os procedimentos com vista ao lançamento do concurso para elaboração do projeto de desmonte parcial do morro situado junto à torre de controlo do Aeródromo do Corvo e ao projeto de repavimentação da pista deste aeródromo.

“Estas são pequenas medidas que contribuem de forma determinante para que a Região tenha, cada vez mais, um conjunto de infraestruturas e meios capazes de dar resposta ao nível da mobilidade de todos os Açorianos” e de todos aqueles que visitam os Açores, frisou o titular da pasta dos Transportes.

A remodelação da Aerogare do Corvo insere-se num processo de desenvolvimento de medidas de segurança que responde às exigências impostas ao nível da aviação e que consiste, essencialmente, em separar o embarque e a chegada de passageiros.

Para além das salas criadas para o embarque e desembarque, foi também instalado um pórtico detetor de metais, num investimento de cerca de 70 mil euros.
Com este investimento, a Aerogare do Corvo passa a assegurar também, a partir de hoje, “a verificação por parte da PSP em todos os voos que se realizarem com origem no Corvo”, salientou Vítor Fraga.

Esta obra finaliza um ciclo de investimentos nos aeroportos da Região, que passam a estar todos “devidamente equipados para responder a estas exigências em termos de segurança”, cumprindo com “todas as normas internacionais impostas ao nível da aviação”, afirmou o Secretário Regional.

Governo estabelece período de carência de reembolso de incentivos ao Turismo para apoiar iniciativa privada

O Governo dos Açores estabeleceu um novo período de carência, até 31 de dezembro de 2016, para o reembolso dos incentivos relativos a investimentos em estabelecimentos hoteleiros e em unidades em espaço rural concedidos ao abrigo do Sistema de Incentivos ao Turismo, uma medida destinada a apoiar a iniciativa privada.

Esta decisão, tomada no Conselho do Governo que se reuniu nas Flores no âmbito da visita estatutária a esta ilha, abrange as prestações devidas a partir de 1 de dezembro de 2013 e resulta da atual situação económica e financeira nacional e internacional, que continua a ter reflexos negativos na atividade turística regional, adiantou a Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares.

Segundo Isabel Rodrigues, por essa razão, o Governo dos Açores entendeu ser necessária uma intervenção para amenizar as dificuldades que ainda atingem a iniciativa privada e, simultaneamente, contribuir para a sustentabilidade das empresas e a manutenção dos postos de trabalho.

Além disso, o Governo dos Açores decidiu conceder um incentivo financeiro, no âmbito do Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento Local, do Sistema de Incentivos para o Desenvolvimento Regional dos Açores (SIDER), a um projeto de investimento para a construção de uma unidade fabril de enchimento de sumos e refrigerantes, na ilha de São Miguel.

De acordo com Isabel Rodrigues, o investimento total deste projeto ascende a cerca de 4,9 milhões de euros, sendo o incentivo a conceder de cerca de 941 mil euros sob a forma de subsídio não reembolsável e cerca de 1,2 milhões de euros como empréstimo reembolsável

Na reunião que decorreu na terça-feira, o Executivo Açoriano deliberou, por outro lado, celebrar com a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo um contrato de cooperação financeira direta, no valor de cerca de 90 mil euros, destinado à remodelação da sede da Junta de Freguesia de S. Pedro.

“Este apoio integra-se no quadro das políticas de cooperação técnica e financeira do Governo com os municípios Açorianos, tendo em vista a melhoria da qualidade dos serviços prestados à população no âmbito das autarquias locais”, adiantou a Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares.

Foi ainda decidido apoiar, através de um contrato de cooperação – valor investimento, o Centro Social e Paroquial das Cinco Ribeiras, no concelho de Angra do Heroísmo, no valor máximo de 1,9 milhões de euros, destinados à realização de obras de requalificação e ampliação do edifício para a instalação de um lar residencial para idosos e respetivo equipamento.

A medida resulta da necessidade de continuar a apoiar o desenvolvimento de atividades de apoio social, através da criação e requalificação de equipamentos que se constituam como respostas de qualidade para apoio a pessoas idosos, adiantou Isabel Rodrigues.

GaCS/PC

Governo já está a trabalhar nas alterações para melhorar acessibilidades aéreas interilhas, anuncia Vasco Cordeiro

O Presidente do Governo garantiu, terça-feira, que o seu Executivo já está a trabalhar na revisão das Obrigações de Serviço Público (OSP) de transporte aéreo entre os Açores, no sentido de assegurar melhores acessibilidades aos Açorianos das nove ilhas do arquipélago.

Vasco Cordeiro, que falava aos jornalistas após a reunião do Governo dos Açores com o Conselho de Ilha das Flores, salientou que, neste processo de revisão das OSP internas, é, porém, fundamental que a Região veja aprovadas, pelo Governo da República, as Obrigações de Serviço Público entre os Açores, o Continente e a Madeira.

“O Governo dos Açores não está à espera que haja essa aprovação para iniciar esse trabalho, que já está a decorrer, mas é de elementar cautela não aprovarmos as OSP de transporte aéreo interilhas antes de termos a conclusão do processo por parte do Governo da República”, referiu Vasco Cordeiro.

A 18 de julho deste ano, o Presidente do Governo anunciou a conclusão das negociações com o Governo da República sobre o novo modelo de OSP nas ligações aéreas entre os Açores e o Continente e a Madeira, que prevê que os Açorianos paguem um valor máximo de 134 euros pelas suas deslocações e a liberalização das rotas entre o Continente e Ponta Delgada e a Terceira.

Na sequência deste acordo global, seguem-se outros passos, nomeadamente, a aprovação em Conselho de Ministros e comunicação por parte do Governo da República à Comissão Europeia das respetivas alterações às OSP.

“Até ao momento, não tenho razão nenhuma para crer que o Governo da República não quer resolver essa situação”, disse o Presidente do Governo dos Açores.

Após o Conselho de Ilha, Vasco Cordeiro salientou, por outro lado, que, à semelhança do que acontece em todas as visitas estatutárias, o Governo dos Açores procurou esclarecer e clarificar o seu entendimento sobre as questões colocadas pelos Conselheiros, assim como apresentar o trabalho que está a desenvolver e os objetivos que pretende prosseguir.

Portugal com uma das menores taxas de empregos disponíveis no 2.2 trimestre

(Lusa) — A taxa de empregos disponíveis na zona euro ficou estável nos 1,7% no segundo trimestre, com Portugal a manter também os 0,6% registados do período anterior, uma das menores da Europa, divulgou hoje o Eurostat. Entre abril e junho, a taxa de empregos disponíveis na zona euro fixou-se em 1,7% na zona euro e 1,6% nos 28 países da União Europeia. Em ambos os casos, o valor do segundo trimestre é igual ao registado no primeiro trimestre, mas acima dos 1,5% do período homólogo (segundo trimestre do ano passado).

IMG_0962.PNG

Para Serrão Santos UE deve fazer reflexão séria sobre embargo russo e fim das quotas

Para Serrão Santos UE deve fazer reflexão séria sobre embargo russo e fim das quotas. Esta segunda-feira, na sessão plenária do Parlamento Europeu, reunido em Estrasburgo, num debate acerca do impacto na Agricultura Europeia do embargo da Federação russa aos produtos agrícolas e alimentares da União Europeia, Ricardo Serrão Santos, chamou a atenção do Comissário Europeu da Agricultura, Dacian Ciolo, para os possíveis impactos do embargo russo no preço do leite na totalidade do território europeu. Para o eurodeputado socialista “as medidas de intervenção para o sector do leite, recentemente aprovadas para fazer face ao embargo russo, são obviamente bem-vindas, mas podem não ser suficientes. Não há dúvida de que este é um problema europeu e a repercussão em toda a Europa não tardará a fazer-se sentir com efeitos negativos sobre o preço pago ao produtor. E, a ser o caso, as medidas até agora aprovadas não serão suficientes”. Colocando, novamente, a questão açoriana na agenda, o eurodeputado do PS/Açores, explicou “que a produção de leite da Região representa 30 por cento da produção nacional e, por esta razão e por ser uma região ultraperiférica, o sector corre riscos de vir a sofrer com este embargo”. Sabendo-se que em 2015 será desmantelado o atual regime de quotas leiteiras cujos efeitos se poderão fazer sentir em simultâneo com os do embargo russo, o eurodeputado apelou aos responsáveis políticos europeus para que “não desperdicem esta oportunidade para questionar sem preconceitos o efeito do fim das quotas leiteiras e as consequências que a falta de um mecanismo eficaz de regulação dos mercados trará para os produtores leite na Europa” sublinhou, ainda, que “não prosseguir com uma reflexão séria e célere sobre a adequada regulação para o mercado do leite é uma opção política, que terá consequências claras. Não poderemos demitir-nos dessa responsabilidade no futuro”.

Hóspedes, dormidas e proveitos mantêm crescimento significativo – Julho de 2014

A hotelaria registou 5,8 milhões de dormidas em julho de 2014, valor correspondente a um acréscimo homólogo de 9,4% (+8,6% em junho de 2014). As dormidas de residentes apresentaram um aumento significativo (+15,4% face a +6,7% em junho), enquanto se verificou uma desaceleração no crescimento das dormidas dos não residentes (+6,9% em julho de 2014 e +9,3% em junho). Dos principais mercados emissores, destaca-se o aumento das dormidas de residentes do Reino Unido, Espanha e França. Em sentido oposto assinala-se a redução observada no mercado alemão. Contudo, no período acumulado de janeiro a julho 2014, com a exceção da Holanda, registaram-se crescimentos nos principais mercados emissores, incluindo o alemão, tendo-se destacado a Espanha com um aumento de 19,4%.
Os proveitos totais aumentaram 10,7% e os de aposento 12,0% (+8,1% e +8,2%, respetivamente, em junho).

IMG_0960.PNG

Presidente do Governo dos Açores anuncia Plano Regional para promover o sucesso escolar

O Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje, na Horta, uma série de medidas de combate ao insucesso e ao abandono escolar precoce, um dos principais desafios do sistema educativo regional, que vai contar com um Plano Regional composto por projetos especificamente destinados a este objectivo.

“O Plano Regional de Promoção do Sucesso Escolar vai ser concebido a partir da audição de todos os intervenientes no processo educativo, contará com uma Comissão Científica de reconhecida competência e orientará a luta mais difícil que enfrentamos em termos educativos: a do combate ao insucesso escolar e ao abandono escolar precoce”, afirmou Vasco Cordeiro.

Numa intervenção na inauguração das obras de remodelação e ampliação da Escola Básica e Integrada da Horta, que representou um investimento de cerca de 8,3 milhões de euros, e na véspera do início do ano letivo 2014/2015, o Presidente do Governo adiantou que este Plano vai congregar os projetos em curso e outros ainda a delinear e a implementar com e para as escolas dos Açores.

Depois de salientar que o domínio da língua e do raciocínio matemático são fundamentais para desenvolver as restantes competências, Vasco Cordeiro avançou que, neste novo ano letivo, vai ser disponibilizado, nos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, a todas as escolas, um crédito horário letivo adicional.

“Com ele, cada turma passa a dispor de mais 90 minutos semanais divididos entre as disciplinas de Português e de Matemática”, disse o Presidente do Governo, ao realçar que esta medida permite que, no 3.º ciclo, os alunos Açorianos possam beneficiar de mais uma aula semanal destas disciplinas, ficando com seis horas letivas em cada uma, enquanto no restante país se afetam apenas cinco horas letivas.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro realçou que, ainda ao nível do Português e da Matemática, no 1.º ciclo, a intervenção para o reforço destas competências faz-se centrada nos professores, através do Programa de Formação e Acompanhamento Pedagógico aos Docentes do 1.º ciclo do ensino básico, iniciado em 2013/14 e que o Governo decidiu manter este ano.

Outra das novidades anunciadas pelo Presidente do Governo tem a ver com a criação dos mediadores escolares, que vão ajudar alunos com percursos marcados pelo insucesso e risco de abandono escolar a “desmontar crenças negativas ao nível da autoestima e do autoconhecimento, a descobrir áreas vocacionais de interesse, a gerir o tempo e o estudo, a ser persistentes e autónomos, para concluírem a sua escolaridade com o sucesso desejado”.

Oito escolas dos Açores vão implementar este projeto, orientado para o desenvolvimento das competências não cognitivas, mas essenciais ao sucesso escolar dos jovens em risco de insucesso escolar.

Ainda ao nível do combate ao insucesso escolar, o Governo decidiu alargar o Projeto Fénix a 18 unidades orgânicas, passando dos 26 projetos desenvolvidos em 2013/14 para um total de 37 projetos neste ano letivo, através do seu alargamento a vários anos de escolaridade, disse.

No âmbito da diversificação dos percursos formativos, Vasco Cordeiro anunciou que, nos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico, serão implementados cursos de formação vocacional, que permitirão aos alunos, para além da conclusão de ciclo, um contacto com três diferentes atividades vocacionais, orientadas para uma futura integração no mundo do trabalho, e momentos de prática simulada, preferencialmente em contexto de empresa.

“Como pretendemos reforçar nestes cursos o desenvolvimento de competências do foro comportamental, relacional, social e de orientação profissional, introduzimos uma componente de desenvolvimento pessoal e social e mediação escolar, uma novidade face às matrizes aprovadas a nível nacional”, salientou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo, depois de destacar o lugar central que a Educação ocupa na estratégia de desenvolvimento para os Açores, frisou que é em cada uma das escolas que se pode verdadeiramente aferir a qualidade das respostas dadas no âmbito do Regime Educativo Especial, mas também dos apoios educativos e do programa Oportunidade.

Nesse sentido, uma equipa técnica da Direção Regional da Educação deslocou-se, em 2013/14, a 19 unidades orgânicas para acompanhar a organização e o funcionamento da Educação Especial, do Apoio Educativo e do Programa Oportunidade, recordou o Presidente do Governo, anunciando que o mesmo acontecerá com todas as restantes escolas ao longo do novo ano letivo.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro defendeu, por outro lado, uma “aliança que se deve forjar entre todos os intervenientes”, desde logo, alunos, famílias e professores, com vista à criação de condições para o sucesso escolar.

“Essas começam em casa de cada família Açoriana, onde a Educação e a criação de condições para o seu sucesso constitui um direito e um dever de cada Pai e de cada Mãe”, disse.

“O Governo quer e está a trabalhar para que, na parte que lhe cabe, e essa parte não é de pouca monta, se criem, cada vez mais, as condições para o sucesso e para a realização plena da importância que a Educação tem para o nosso futuro coletivo”, assegurou.

O Presidente do Governo referiu ainda que, no que respeita à diversificação da oferta formativa de nível secundário, no âmbito da Formação Profissional, o Executivo tem desenvolvido um “enorme esforço” para dotar as escolas dos meios mais adequados, sempre em linha com a gestão racional dos recursos disponíveis.

“Com efeito, para além dos cursos científico-humanísticos, mais vocacionados para o prosseguimento de estudos, temos 107 cursos em funcionamento nas escolas profissionais, 35 dos quais no primeiro ano”, afirmou.

Na véspera do arranque do ano letivo, Vasco Cordeiro adiantou que, em matéria de concurso de pessoal docente, todos os procedimentos concursais para o ano escolar de 2014/2015 decorreram e estão a decorrer como planeado, no sentido de assegurar que as escolas públicas da Região dispõem dos recursos humanos necessários ao seu normal funcionamento.

Neste ano letivo, na rede pública, mais de 4.700 docentes, apoiados por cerca de 2.300 funcionários que trabalham nas mais de 175 escolas dos Açores, vão dedicar-se à formação de quase 41 mil crianças e jovens Açorianos.

GaCS/PC

IMG_0955.JPG

Voo que regressou a Ponta Delgada aterrou normalmente e passageiros seguem hoje para Toronto

(Lusa) — O avião da SATA Internacional que teve de regressar esta tarde a São Miguel devido a uma avaria já aterrou em Ponta Delgada, “sem recurso a qualquer procedimento de emergência” e os passageiros seguirão hoje viagem para Toronto. O porta-voz da companhia açoriana, Luís Filipe Cabral, acrescentou à Lusa que o voo Ponta Delgada/Toronto teve que regressar a São Miguel devido “a uma avaria no sistema de despressurização” e “por procedimento de segurança o aparelho regressou”, dado tratar-se de “uma viagem de longo curso”. De acordo com o porta-voz da companhia, o avião aterrou cerca das 2o:oo horas locais (21:00 em Lisboa) e “os passageiros vão embarcar ainda hoje para Toronto noutro equipamento”.
http://www.flightradar24.com/RZO323/452043a

IMG_2492.PNG

Sismo de 4.2 registado na ilha Terceira

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) informa que às 15h07, de hoje foi registado um evento com magnitude 4,2 (Richter) e epicentro na região do Banco D. João de Castro, a cerca de 66 km a SE de S. Sebastião, ilha Terceira.

De acordo com a informação disponível até ao momento o sismo foi sentido com intensidade máxima III/IV (Escala de Mercalli Modificada) no concelho de Praia da Vitória, na ilha Terceira. O evento foi igualmente sentido no concelho de Angra do Heroísmo, com intensidade III.

O CIVISA continua a acompanhar o evoluir da situação, emitindo novos comunicados caso necessário.

O SRPCBA recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, em particular nas zonas mais vulneráveis, recomenda-se a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

Mantenha a calma. Conte com a existência de possíveis réplicas.

Não acenda fósforos nem isqueiros e corte imediatamente o gás, a eletricidade e a água.

Observe se a sua casa sofreu danos graves. Saia imediatamente se achar que a casa não oferece segurança.

Tenha cuidado com vidros partidos, cabos de eletricidade e objetos metálicos que estejam em contacto com estes.

Em locais públicos , não se precipite para as saídas e não utilize os elevadores.

Evite ferimentos protegendo-se com roupa adequada. Vista-se de acordo com a estação do ano.

Observe se há pequenos incêndios e, se possível, extinga-os. Informe os bombeiros.

Limpe urgentemente o derrame de tintas, pesticidas e outros materiais perigosos e inflamáveis

Afaste-se das praias e zonas ribeirinhas. Depois de um sismo podem ocorrer tsunamis (onda gigante)
Solte os animais, eles tratam de si próprios

Se estiver na rua, não vá para casa. Dirija-se a um local amplo protegendo-se de estruturas que o possam atingir ao cair.

Não dificulte a circulação das equipas de socorro e siga as indicações dos agentes de proteção civil no terreno.

Esteja atento às informações e indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Dados do INE revelam que crescimento da população empregada nos Açores foi o maior dos últimos 16 anos, afirma Sérgio Ávila

O Vice-Presidente do Governo dos Açores criticou hoje, na Assembleia Legislativa, na Horta, a dualidade de critérios da oposição parlamentar, sublinhando que “quem quer que a realidade seja pior” omite determinados aspetos.

Sérgio Ávila apontou, como exemplo, declarações recentes do Vice-Primeiro-Ministro, segundo as quais o país estaria no bom caminho atendendo a indicadores que evidenciavam a criação de duas empresas por cada uma que encerra a atividade no conjunto do país.

O Vice-Presidente frisou que os mesmos indicadores apontam para a criação, nos Açores, de quatro empresas por cada uma que fecha, “o dobro do que acontece no continente”, circunstância que a oposição parlamentar na Região não valoriza.

Outro aspeto referido por Sérgio Ávila tem a ver com a criação de emprego e o combate ao desemprego, que constituem “a principal prioridade” para o Governo Regional.

“Assumimos claramente que, enquanto houver um Açoriano desempregado, isso é um desafio que a todos cabe vencer”, sublinhou, acrescentando que dados recentemente publicados indicam que “nos últimos seis meses, todos os meses diminuíram os inscritos nos centros de emprego, sendo que, nos últimos cinco meses, diminuíram os desempregados inscritos nos centros de emprego em relação ao mesmo mês do ano anterior”.

O Vice-Presidente do Governo dos Açores adiantou também que “o Instituto Nacional de Estatística, que tanto gostam de referir numa parte, mas omitindo na outra, revelou claramente que, no último trimestre com dados conhecidos, o crescimento da população empregada nos Açores, face ao trimestre anterior, foi o maior desde 1998, ou seja, o maior nos últimos 16 anos”.

“Se compararmos o trimestre homólogo com o do ano anterior, registou-se, de acordo com o INE, o maior crescimento do emprego nos últimos cinco anos e meio, ou seja, nos últimos 22 trimestres”, acrescentou.

Sérgio Ávila revelou também que, “só no mês de junho, foram apresentados mais de 300 novos projetos de investimento aos sistemas de incentivo” existentes nos Açores, salientando que se trata do “maior volume de novos investimentos que se registou nos últimos 10 anos”.

Para o Vice-Presidente, “os dados não são mérito do Governo”, mas sim “do esforço empenhado dos Açorianos e das empresas, dos trabalhadores e dos empresários açorianos”, tendo o Governo cumprido “a sua obrigação de criar condições”.

Sérgio Ávila reafirmou o empenho do Executivo em contribuir, “com confiança, vontade e energia”, para que “os muitos que ainda estão desempregados e as muitas empresas que ainda têm dificuldades possam também trilhar o caminho de sucesso, possam ter o futuro que estes resultados indicam que muitos Açorianos já tiveram”.

Para o Vice-Presidente, “isso faz-se apoiando, incentivando, não se faz puxando para baixo, não se faz dizendo que está tudo mal”, já que, na sua opinião, “nunca está tudo mal”.

“Sempre existem coisas más que têm de ser aperfeiçoadas, existem erros que têm de ser corrigidos, mas ninguém constrói uma solução dizendo que está tudo mal, como ninguém constrói uma solução dizendo que está tudo bem”, frisou Sérgio Ávila.

GaCS/CT

Em 2013, a despesa corrente em saúde diminuiu 2,1% – 2013

Em 2013, a despesa corrente em saúde continuou a diminuir (-2,1%), mas de forma menos acentuada que o verificado em 2011 (-5,2%) e 2012 (-6,6%). Em percentagem do Produto Interno Bruto, a despesa corrente em saúde representou 8,9% em 2013. A despesa corrente pública contribuiu para esta evolução, diminuindo 1,1% em 2013, após registar reduções significativas em 2011 (-8,2%) e 2012 (-9,9%). A despesa corrente privada registou aumentos moderados em 2011 (+1,8%) e 2012 (+0,5%), estimando-se um decréscimo de 3,9% para 2013.

Açores continuam a liderar taxa de criação líquida de empresas a nível nacional

Os Açores continuam a ser a região do país que apresenta a maior taxa de constituição de empresas por cada dissolução natural, registando a constituição de quatro empresas por cada uma que encerra a atividade.

O Barómetro Empresarial de agosto, publicado pela eInforma, indica que foram criadas nos Açores, entre agosto de 2013 e julho deste ano, 571 empresas nos Açores, enquanto 144 foram dissolvidas.

O conjunto das regiões do país, incluindo os Açores, apresentou, no mesmo período, uma taxa de 2,4, sendo de destacar que Lisboa, a mais rica, registou um rácio de 2,3 e a região da Madeira ocupou o último lugar da lista, com 1,6.

No Barómetro Empresarial publicado em outubro de 2013, relativo aos 12 meses anteriores, os Açores já tinham sido a região portuguesa com a maior taxa de criação líquida de empresas, tendo registado também a criação de quatro empresas por cada uma que encerrou a sua atividade.

Nesse período foram criadas 504 empresas nos Açores, menos 67 do que entre agosto de 2013 e julho deste ano, estando, por isso, a confirmar-se a tendência para uma maior criação líquida de empresas na Região, onde, nesta data, há 6.655 empresas em atividade.

GaCS/VPECE

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 914 outros seguidores

%d bloggers like this: