Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

GRANDES FESTAS DO DIVINO ESPÍRITO SANTO DE PONTA DELGADA REALIZAM-SE DE 6 A 8 DE JULHO

A nona edição das Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada vai realizar-se de 6 a 8 de julho, foi anunciado pelo Vereador da Cultura do Município, na segunda-feira.
José Andrade avançou que a Câmara Municipal de Ponta Delgada volta a dinamizar as festas, apesar do “ano atípico de dificuldades financeiras”, esclarecendo, assim, as dúvidas que surgiram quanto à realização da edição de 2012.
“As Grandes Festas do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada são um evento gigantesco, de cariz popular, que envolve muitas pessoas como voluntárias”. “É com este sentido de voluntariado que nasce com a vontade de cumprir a tradição que, em tempo de crise, como o atual, há a garantia de que a Câmara e as várias forças vivas das freguesias vão voltar a dar as mãos e realizar uma festa cuja expressividade já ganhou impacto nos Açores e fora dele, designadamente, junto das comunidades emigradas”.
José Andrade avançou com a realização das Grandes Festas do Divino Espírito Santo, em curso desde 2004, por iniciativa municipal, num evento destinado a homenagear a cultura popular e alguns dos seus mais ativos prossecutores, salientando, o culto ao Divino como uma das expressões mais antigas da cultura das gentes dos Açores.
Tanto mais que o programa que se avizinha para a próxima edição destas festas seguem as “formalidades” típicas da festividade – da Mudança da Bandeira do Divino Espírito Santo, abertura do Quarto do Espírito Santo, e Bênção da Despensa do Espírito Santo, na sexta-feira; à entrega de pensões, distribuição das sopas e entrega das pensões, no sábado; e a missa de coroação, bodo de leite e grande coroação dos impérios, no domingo.
Deste modo, o responsável defendeu que “a cultura popular é a nossa maior cultura, pois reproduz a nossa identidade”. “A cultura popular nas suas diversas expressões – do teatro à música – distingue-nos enquanto povo autónomo”.
A exaltação da cultura popular açoriana fez-se na segunda-feira na Biblioteca Municipal por ocasião da entrega de diplomas de distinção a várias figuras regionais que se destacaram e destacam na sua difusão.
Foram homenageados Manuel João Sousa de Melo, António Paquete, Inês Pastor e Débora Soares, e José de Oliveira (a título póstumo, numa sessão que acabou por ser dedicada à sua memória).
Os homenageados foram escolhidos pela Fundação Sousa d’Oliveira, presidida por Carlos Melo Bento e tendo como Comissário José de Almeida Mello, responsável, também, pela atividade da Biblioteca Municipal.
Melo Bento disse que a entrega dos diplomas segue a vontade do mentor da Fundação de “salvar a cultura da nossa terra, para que progrida de forma dinâmica”.
O orador convidado, o professor Rubens Pavão, fez uma dissertação sobre alguns dos factos mais marcantes da cultura popular e que de, alguma forma, se entrosaram nas caraterísticas dos homenageados.
Inês Pastor nas artes plásticas, “cuja obra se projeta no mais belo que existe na sua terra: a natureza, o mar”.
Débora Soares, também, como pintora e professora, que revela na sua arte a natureza da ilha de São Miguel como fonte de inspiração.
António Paquete pelo seu fomento ao teatro, ligado à criação e atividade do Grupo de Teatro da Casa do Povo da Fajã de Cima.
Manuel João de Sousa, por manter vivas antigas tradições, ao ter criado e mantido, nas Capelas, a Oficina Museu de Artesanato, “ponto de referência de quem nos visita”.
João de Oliveira, por ter criado e dinamizado a Escola de Violas da Terra da Relva.
José Andrade, Carlos Melo Bento e Ruben Pavão, os intervenientes da sessão realizada na segunda-feira foram unânimes quanto ao contributo dos homenageados para o dinamismo da cultura local, quanto ao seu reconhecimento e quanto ao apoio que devem merecer dos responsáveis institucionais para que a cultura – esta reserva do património humano nos Açores – se perpetue e desenvolva.
A sessão terminou com uma atuação do grupo da Escola de Violas da Terra da Relva, com uma homenagem sentida de todos os presentes pela partida de José de Oliveira.

Ponta Delgada, 28 de fevereiro de 2012
Gabinete de Imprensa
Luísa Silva

Comments are closed.

%d bloggers like this: