Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Governo aprova mais de 250 projetos de investimento no setor agrícola

O Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje a aprovação de mais de 250 projetos de investimento no setor agrícola, dos cerca de 300 que foram apresentados no anterior Quadro Comunitário de Apoio e que o Executivo conseguiu que transitassem para o atual período de programação financeira.

Vasco Cordeiro revelou que estes projetos de investimento correspondem a mais de 26,5 milhões de euros de apoios ao investimento privado, a que os empresários agrícolas e agroindustriais dos Açores poderão aceder logo que a União Europeia aprove o PRORURAL+, acrescentando que os respetivos contratos de financiamento já foram enviados aos beneficiários.

“Desse total de projetos aprovados, mais de 170 destinam-se à modernização das explorações agrícolas, representando um investimento superior a 15 milhões de euros, mais de 40 à instalação de jovens agricultores, num valor superior a 1,5 milhões de euros, e três à transformação, com perto de 8,7 milhões de euros”, especificou o Presidente do Governo, que falava na inauguração da nova fábrica de rações do Grupo SICOSTA, na Lagoa, em S. Miguel.

Para Vasco Cordeiro, esta nova fábrica, que o Governo dos Açores apoiou através do PRORURAL, representa “um sinal de confiança” na economia e no futuro dos Açores, frisando que “a confiança é um ativo fundamental para respondermos positivamente aos desafios com que estamos confrontados”.

“Acreditamos nos empresários Açorianos e incentivamos essa sustentada confiança na nossa capacidade coletiva de vencer os desafios, e de, em conjunto, construir o nosso futuro”, frisou Vasco Cordeiro, assegurando que o Executivo Regional apoia essa “vontade de construir soluções que criem valor e emprego, através da canalização estratégica de fundos para medidas que contribuam para a modernização e inovação das nossas unidades fabris de transformação, quer no setor do leite, quer no da carne”.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou ainda a resposta positiva que o setor agrícola açoriano sempre deu aos desafios com que foi confrontado ao longo dos anos, considerando que é “um exemplo de como, em espírito de parceria e com um elevado grau de compromisso, entidades públicas e entidades privadas conseguem fazer mais e melhor pelo desenvolvimento da nossa terra”.

Nesse sentido, recordou a medida criada para apoiar a instalação de jovens agricultores, que ultrapassou as expetativas, o mesmo sucedendo com as candidaturas apresentadas para os apoios à modernização das explorações agrícolas, que também ultrapassaram largamente as previsões.

Relativamente ao PRORURAL, Vasco Cordeiro anunciou que, embora estando a decorrer ainda o período normal de pagamento de apoios e ajudas diretas relativas ao anterior Quadro Comunitário de Apoio, conforme o calendário de pagamentos oficial que se prolonga até meados do próximo ano, “efetuamos esta semana a antecipação do pagamento de mais de 7,5 milhões de euros das ajudas à Manutenção da Atividade Agrícola em Zonas Desfavorecidas”.

“Um valor que corresponde a 75% da ajuda direta, o máximo permitido pelo regulamento europeu, e cujo pagamento só seria feito, não fosse esta decisão do Governo dos Açores, no final deste ano”, frisou.

Por outro lado, salientou que, no final deste mês de outubro, será feita a “antecipação, em cerca de dois meses, do pagamento das ajudas agroambientais, no valor de aproximadamente 6,5 milhões de euros”.

“O trabalho que, em parceria, desenvolvemos no setor agrícola nunca é uma tarefa acabada. Novos desafios colocam-se sempre a este setor, os quais serão mais facilmente debelados numa conjugação de esforços entre todas as entidades que, direta ou indiretamente, nele intervêm e dele dependem”, afirmou Vasco Cordeiro.

“O Governo dos Açores está pronto para assumir o seu papel, na perspetiva de criar as condições para reduzir os custos de produção, de transformação e de comercialização dos nossos produtos, apoiando tanto o nosso setor agrícola, como a nossa agroindústria”, assegurou.

“Muito tem sido feito e temos ainda, todos, muito trabalho pela frente. Os desafios que temos pela frente exigem, de todos nós, uma resposta firme e determinada. Exigem que todos nos comprometamos em dar o nosso melhor”, frisou o Presidente do Governo, manifestando a convicção de que “a agricultura e a agroindústria açorianas estão hoje mais fortes e mais aptas a enfrentar os desafios, sendo, também por isso, parceiros insubstituíveis da Governo no processo de desenvolvimento e de progresso que queremos continuar a concretizar”.
GaCS/PC

Anúncios

Comments are closed.

%d bloggers like this: