Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Governo cria Núcleos de Saúde da Família para reforçar proximidade ao Serviço Regional de Saúde

O Presidente do Governo dos Açores anunciou hoje, na Horta, a criação, no próximo ano, de Núcleos de Saúde da Família, que vão permitir reforçar a proximidade e a acessibilidade dos Açorianos ao Serviço Regional de Saúde.

“Em 2015, avançaremos com a criação dos Núcleos de Saúde da Família, que serão constituídos por um médico, um enfermeiro e um administrativo, que terão à sua responsabilidade entre 1.500 a 1.900 Açorianos que, de uma forma personalizada, terão todo o apoio na interação com o sistema de Saúde”, adiantou Vasco Cordeiro.

Numa intervenção no encerramento do debate parlamentar do Plano de Investimentos e de Orçamento para 2015, o Presidente do Governo salientou que, além dos atos de rotina, exames de diagnóstico, vacinas e acompanhamento de doentes crónicos, estes Núcleos de Saúde da Família tratarão da marcação de consultas abertas, no respetivo Centro de Saúde ou nos serviços convencionados, enquanto não existirem todos os médicos de famílias necessários.

Vasco Cordeiro anunciou, por outro lado, que Governo dos Açores vai reforçar, no próximo ano, o desconto de que usufruem as famílias com dois ou mais filhos em creches ou jardins de infância.

Ainda na área da Solidariedade Social, o Executivo Açoriano vai por em funcionamento, em 2015, respostas para as crianças e jovens com deficiência, com idades compreendidas entre os 12 e os 16 anos, apoiando, também por esta via, estas famílias nos tempos livres e nas férias escolares.

“Colmatamos, assim, uma lacuna que atualmente existe na Rede de Respostas Sociais dos Açores, uma vez que os ATL destinam-se a crianças até aos 12 anos e os CAO só têm resposta para idades a partir dos 16 anos”, afirmou.

Ao nível económico, Vasco Cordeiro salientou que 2015 deverá ficar marcado pela entrada em funcionamento do novo modelo de transporte aéreo entre os Açores e o continente, na sequência do acordo alcançado entre o Governo dos Açores e o Governo da República.

Depois de salientar que este processo abre um conjunto de novas oportunidades positivas para o setor turístico, Vasco Cordeiro defendeu uma aposta muito séria e decisiva no reforço das condições internas de sucesso para esse sector.

“Neste sentido, vamos desenvolver o Programa ‘Receber quem nos Visita’ dirigido a toda a população, ao mesmo tempo que, a partir do próximo ano letivo, serão introduzidos conteúdos, ao nível da Cidadania, sobre esta temática nas nossas escolas do 1.º Ciclo”, disse.

No que respeita ao nosso setor primário – Agricultura e Pescas -, o Governo pretende não apenas continuar a fortificar as áreas tradicionais como a agropecuária e a produção de leite, mas também incentivar a recuperação e dinamização de áreas que têm ainda potencial a dar para a Região.

“Assim, e com base na experiência colhida na Paisagem da Cultura da Vinha da Ilha do Pico, o Governo vai disponibilizar um sistema de incentivos à manutenção de paisagens tradicionais da cultura da vinha, em currais e em socalcos, e de pomares de espécies tradicionais, situadas em áreas de paisagem protegida e em fajãs costeiras”, salientou Vasco Cordeiro.

Este novo sistema de incentivos, que prevê apoios que variam entre os 2.350 euros e os 1.500 euros por hectare, assenta no pressuposto que as atividades agrícolas tradicionais, como são os casos da viticultura e da fruticultura, são inestimáveis ativos ambientais, designadamente no que respeita à manutenção da paisagem e à preservação de recursos naturais e da biodiversidade.

No que respeita ao setor das Pescas, para além da aposta na formação dos pescadores que também vai ser prosseguida pela Escola do Mar a instalar na ilha do Faial, a finalização da construção do entreposto frigorífico de Ponta Delgada, a construção das novas lotas da Madalena e de Vila do Porto e a montagem dos novos silos de fornecimento de gelo em escama nos portos da Horta, Madalena, Praia da Vitória e São Mateus constituem contributos fundamentais para atingir o objetivo da valorização dessa fileira e de criação de condições para o aumento do rendimento dos pescadores.

De acordo com o Presidente do Governo, em conjunto, estas novas estruturas portuárias de apoio às pescas beneficiarão diretamente mais de 95% do pescado descarregado nos Açores.
GaCS/PC

Anúncios

Comments are closed.

%d bloggers like this: