Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Plataforma Accelerate Azores irá contribuir para a mudança de paradigma na economia regional

O Vice-Presidente do Governo dos Açores considerou a Plataforma Accelerate Azores, que esta manhã foi apresentada em Angra do Heroísmo, “um instrumento de dinamização da economia regional”.

Sérgio Ávila justificou dizendo que, ao “congregar ideias de negócio e seus promotores, os centros de conhecimento e respetivos investigadores, e, ainda, os investidores que pretendam apostar nessas ideias de negócio promissoras”, a plataforma agiliza a possibilidade de concretização dessas ideias de negócio.

“Em traços gerais, poder-se-ia dizer que a Plataforma Accelerate Azores se constitui numa forma simples, mas eficaz, de ultrapassar o problema que frequentemente se coloca quando se pretende conjugar os interesses de empreendedores, investigadores e investidores e estabelecer sinergias bem sucedidas”, afirmou o governante.

Sérgio Ávila explicou também que através da plataforma hoje apresentada será possível aos empreendedores exporem as suas ideias, procurando pequenos investimentos e testando o potencial interesse que as mesmas possam vir a ter, sujeitando-se a um teste de mercado de forma eficiente e eficaz.

“Este é, aliás, um aspeto que gostaria de salientar, pois, caso o projeto passe neste filtro de teste de mercado – podendo ainda ser sujeito a um processo de desenvolvimento adicional –, estará em melhores condições de vir a ter sucesso e poderá ser candidatado aos sistemas de incentivos disponíveis, como é o caso do Competir + ou do Fundo de Investimento de Apoio ao Empreendedorismo nos Açores”, realçou o Vice-Presidente do Governo.

Outra funcionalidade importante que agora é disponibilizada pela plataforma Accelerate Azores é a de um Banco de Ideias, onde eventuais investidores poderão encontrar projetos de negócio e respetivos promotores, sendo o principal objetivo o de agilizar a sua concretização.

Para Sérgio Ávila, trata-se de “um importante elemento para a mudança de paradigma que queremos implementar no nosso modelo económico, onde o conhecimento se assumirá como base e motor de um novo período de crescimento para as próximas décadas.”

O Vice-Presidente do Governo considerou mesmo que se está em presença de “uma ferramenta poderosa na divulgação de projetos inovadores, onde todo o potencial de aproveitamento dos nossos recursos endógenos pode ser trabalhado e a ligação entre projetos científicos e a sua articulação e aplicabilidade com o tecido empresarial será possível de uma forma simples e prática.”

Ainda nesse âmbito, Sérgio Ávila aludiu à próxima concretização do Business Innovation Centre dos Açores, uma incubadora de empresas de base tecnológica, ao Parque Tecnológico da Terceira, à Escola do Mar na Horta e à Rede de Incubadoras de Empresas dos Açores.

O governante afirmou que o Governo dos Açores está a trabalhar no sentido de haver na região “incubadoras que potenciem a transferência de conhecimento adquirido nas universidades para a criação de empresas de elevado valor acrescentado e de emprego qualificado, bem como a criação de empresas de base local, ao nível de concelho, que potenciem o aproveitamento dos nossos recursos endógenos.”

Para Sérgio Ávila, os Açores terão as infraestruturas de apoio ao empreendedorismo e os instrumentos financeiros adequados, o que, por via de um trabalho que deverá envolver “entidades produtoras de conhecimento, empresas e associações empresariais, Governo Regional e autarquias” tornará possível, “entrar numa nova era de prosperidade”, dando continuidade ao que vinha sendo feito.

“Uma economia mais eficiente, mais ecológica, mais competitiva e com geração de mais e melhor emprego”, é, segundo o Vice-Presidente do Governo, o grande objetivo a alcançar “com o esforço de todos quantos queiram contribuir para o bem dos Açores e dos Açorianos”.
GaCS/CT

Comments are closed.

%d bloggers like this: