Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Tag Archives: Avelino Meneses

Avelino Meneses anuncia criação do programa Fénix-Açores

O Secretário Regional da Educação e Cultura anunciou hoje, em Angra do Heroísmo, a criação do programa Fénix-Açores, em linha com a experiência colhida pela implementação do projeto Fénix desde o ano letivo 2012/2013 em diversas unidades orgânicas do sistema educativo regional.

Avelino Meneses salientou que a criação de um programa específico, que vai abranger no próximo ano letivo mais de quatro dezenas de projetos com cerca de 3.900 alunos, justifica-se por ser “um poderoso instrumento de recuperação de aprendizagens”.

“Nos próximos anos, o Fénix servirá para conferir uma nova oportunidade a todos aqueles que manifestam dificuldades de aprendizagem, para que logrem o retorno ao percurso de relativa homogeneidade no seio das nossas turmas”, frisou.

O Secretário Regional, em declarações aos jornalistas, manifestou a esperança de que, “vencida a batalha do sucesso e um dia essa batalha será vencida”, o projeto Fénix venha também a estimular a aprendizagem de estudantes com mais nível de proficiência”, já que “o objetivo último da educação é o alcance da excelência”.

O programa Fénix, com aplicação ao ensino básico, vem, segundo Avelino Meneses, “evidenciando sucesso”, salientando que “deteta precocemente dificuldades de aprendizagem mais facilmente debeladas à nascença do que após anos e anos de agravamento”.

Nesse sentido, considerou que se trata de “um instrumento útil no combate à retenção, que suscita o desinteresse e o abandono”.

O Fénix é, em conformidade com o atual universo escolar, “um programa que responde às necessidades específicas de cada aluno, respeitando a heterogeneidade dos nossos públicos sem pretender reduzi-los à homogeneidade do tempo de Napoleão, que é de todo inviável neste nosso tempo de escolaridade obrigatória”, afirmou Avelino Meneses.

O Secretário Regional salientou que este programa regional acompanha os propósitos do Fénix nacional, já que “luta contra a retenção, a desistência e o abandono no ensino básico”, particularmente nas suas disciplinas nucleares, o Português e a Matemática.

O programa regional prevê, entre outros aspetos, a reorganização das turmas em determinado ano de escolaridade, conferindo-lhe “uma organização mais flexível” em correspondência com as necessidades específicas dos alunos envolvidos, bem como propõe novas modalidades de intervenção.

Assim, do 1.º ao 3.º ciclo do ensino básico permanece a modalidade do apoio ‘ninho’, onde os alunos com maiores dificuldades são inseridos em grupos mais pequenos com vista a promover uma maior e mais rápida aquisição de conhecimentos, criando-se para o 2.º e 3.º ciclo duas novas modalidades de apoio, que se pretende que sejam “mais eficazes” e que são o apoio Fénix A,B,C e o Fénix Turnos.

As novas modalidades visam, no respeito pelos critérios de ordem pedagógica, a possibilidade de um “trabalho diferenciado e mais individualizado”, num processo que poderá manter-se ao longo do ano letivo ou ser reajustado em função da avaliação que for sendo efetuada.
GaCS/PB

Concurso da empreitada da nova Escola Canto da Maia será lançado “em breve”

O concurso da empreitada de construção da nova Escola Canto da Maia, em Ponta Delgada, uma das quatro escolas da ilha de S. Miguel com telhados de fibrocimento, será lançado “em breve”, afirmou hoje o Secretário Regional da Educação e Cultura.

Avelino Meneses, que falava aos jornalistas no início de uma visita a esta escola básica e integrada, reafirmou a vontade do Governo dos Açores de concluir até 2018 o processo de remoção de telhados de fibrocimento em todos os estabelecimentos de ensino público, dando cumprimento com um ano de antecedência às diretivas europeias sobre esta matéria.

O Secretário Regional afirmou, a propósito do amianto nas escolas, que “é preciso ter alguma moderação”, salientando que se “tem feito uma correlação abusiva, mesmo irresponsável, entre a existência de tetos de fibrocimento portadores de amianto em algumas, poucas, das nossas escolas e a eventual contração de doenças, particularmente de cancros”, entre a comunidade escolar.

“Essa correlação não pode ser feita”, frisou Avelino Meneses, relembrando que foi elaborado em 2014, através de uma empresa regional em articulação com uma empresa internacional, um estudo em três das escolas da ilha de S. Miguel com telhados de fibrocimento, concretamente na Canto da Maia, nos Arrifes e nas Capelas.

“O resultado foi o seguinte: na Canto da Maia e nos Arrifes não se detetaram partículas de amianto em suspensão no ar e, no caso das Capelas, apenas em seis dos 34 sítios que foram pesquisados se detetaram algumas partículas de amianto em suspensão”, afirmou o Secretário Regional.

Avelino Meneses acrescentou que, no caso das Capelas, “foi feita uma análise complementar e chegou-se à conclusão de que as partículas em suspensão ficavam muito aquém dos índices de perigosidade”.

“De qualquer maneira, isto não serve para dizer que queiramos eternizar os tetos de fibrocimento nas nossas escolas. Esse não é efetivamente o objetivo”, assegurou.

Nesse sentido, estimou que as obras nas escolas dos Arrifes, da Lagoa e das Capelas, estabelecimentos com tetos de fibrocimento, estejam concluídas em 2018, rejeitando que, nesta matéria, dada a quantidade de obras em curso no setor da educação, construções de raiz ou de remodelação profunda, se registem atrasos significativos.
GaCS/PB

Avelino Meneses considera que declarações públicas sobre perigosidade do amianto nas escolas dos Açores “roçam a irresponsabilidade”

O Secretário Regional da Educação e Cultura considerou hoje que as declarações públicas recentemente produzidas por um responsável do Sindicato Democrático dos Professores dos Açores sobre a perigosidade do amianto nas escolas do arquipélago “roçam a irresponsabilidade, porque fogem à verdade”.

Avelino Meneses frisou que o Governo dos Açores fez em 2014 uma análise à qualidade do ar a três escolas de S. Miguel, designadamente dos Arrifes, Canto da Maia e das Capelas, com cobertura de fibrocimento, “potencialmente escolas com amianto”.

Dessas análises resultaram que “não foram detetadas partículas gerais em suspensão” nas escolas dos Arrifes e Canto da Maia, enquanto nas Capelas “foram detetadas, em poucas salas, partículas diversas em suspensão”, acrescentou.

Perante esta situação, salientou o Secretário Regional, foi realizada uma segunda análise nas Capelas e os resultados trabalhados por um laboratório da especialidade norte-americano apontam para a deteção de “algumas partículas de amianto em suspensão, mas em valores muito inferiores aos mínimos considerados perigosos”.

Face a estas conclusões, o Secretário Regional da Educação e Cultura considerou que “é preciso não trazer para a opinião púbica inquietações desnecessárias”.

Avelino Meneses recordou ainda que, de acordo o programado pelo Governo dos Açores, até ao final da presente legislatura, as escolas da Região com cobertura de fibrocimento estarão em fase de intervenção ou com os necessários procedimentos assegurados para esse efeito.

“Por isso, creio que podemos estar sossegados na convicção do nosso objetivo de remover o amianto quanto antes, mas também com a certeza de que o amianto não significa um perigo iminente e, muito menos, se poderá correlacionar com casos de cancro ou outras problemáticas inquietantes”, afirmou o Secretário Regional.
GaCS/PB

Avelino Meneses anuncia que processo de reabilitação do Núcleo de Santo André do Museu Carlos Machado vai ser retomado

O Secretário Regional da Educação e Cultura anunciou hoje, em Ponta Delgada, que autorizou, por despacho, a Direção Regional da Cultura a abrir um procedimento público tendo em vista a adjudicação da empreitada de reabilitação do Núcleo de Santo André do Museu Carlos Machado.

Avelino Meneses, que falava aos jornalistas à margem de uma visita ao museu, acrescentou que a empreitada, no valor de 620 mil euros, terá um prazo de execução de 180 dias.

“Em virtude das delongas do passado, pode haver ainda alguma descrença na concretização destas obras”, salientou o Secretário Regional, frisando esperar que “desta vez tenhamos a felicidade que não tivemos no passado, porque no passado foi isso que efetivamente faltou”.

“No exercício da politica é preciso ter humildade e é por isso mesmo que reconhecemos que, nos últimos anos, concretamente nos últimos oito anos, não fomos felizes neste processo”, afirmou Avelino Meneses.

As obras agora anunciadas correspondem a uma primeira fase, que deverá estar concluída em outubro de 2015 e que permitirá a reabertura da quase totalidade do Museu Carlos Machado.

Posteriormente, até 2017, seguir-se-á uma segunda fase, que será dividida em duas subfases, não implicando estas obras, orçadas em cerca de três milhões de euros, o encerramento do edifício.

A loja e o bar serão abertos na primeira subfase, enquanto na segunda e última será realizada uma intervenção no resto do edifício, particularmente ao nível da cobertura e numa parte subterrânea que será construída sob o jardim.

Avelino Meneses estimou que todo o conjunto possa ficar disponível para o público em 2017.

Questionado sobre o Centro de Arte Contemporânea dos Açores, o Secretário Regional da Educação e Cultura revelou que na próxima semana se vão realizar trabalhos “determinantes” para a calendarização das atividades daquela infraestrutura cultural localizada na cidade da Ribeira Grande, na costa norte da ilha de S. Miguel.
GaCS/PB

%d bloggers like this: