Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Tag Archives: eleições

Eleições Legislativas a 4 de outubro

Cavaco Silva marca eleições legislativas para dia 4 de outubro.

Europeias 2014 Última Atualização: 25 de maio 2014 | 23:40

Europeias 2014
Última Atualização: 25 de maio 2014 | 23:40
PS 31,45%
PPD/PSD.CDS-PP 27,70%
PCP-PEV 12,68%
MPT 7,15%
B.E. 4,56%

Açores
PS 41,30%
PPD/PSD.CDS-PP 29,62%
MPT 5,16%
PCP-PEV 3,87%
B.E. 3,68%
L 1,43%
PDA 1,38%
PAN 1,25%
PCTP/MRPP 1,05%

Abstenção 80.26%
Não votaram:182.099

Ricardo Rodrigues é o novo Presidente de Câmara Municipal

O PS ampliou a sua vitória em Vila Franca do Campo na repetição das eleições de 29 de Setembro. Capturar

A Assembleia de Apuramento Geral decide hoje a validação ou anulação das eleições autárquicas em Vila Franca

CapturarA Assembleia de Apuramento Geral decide hoje a validação ou anulação das eleições autárquicas em Vila Franca, devido às irregularidades detetadas nos boletins de voto, que não continham o quadrado para colocar a cruz à frente do PSD/PPM e Novo Rumo.
http://www.acorianooriental.pt/

Eleições Autárquicas 2013

O PS ganhou em 150 de 308 Municípios.
Foi a maior vitória de sempre numas eleições autárquicas.
Das 150 câmaras em que o PS saiu vencedor, 73 foram com percentagens superiores a 60 %.
O PS ganhou os 3 Concelhos mais populosos do País (Lisboa, Sintra e Gaia).
Nos Açores o PS ganhou 13 câmaras e obteve 56.977 votos (46,62%).
O PSD nos Açores venceu só em 4 câmaras com 38.149 votos (31,22%).
Para termos um ponto de comparação em 2009 o PS ganhou em 12 câmaras com 57.871 votos, enquanto o PSD vencia em 7 com 53.958 votos.
O PSD perde 3 câmaras e 15809 votos.
A desilusão da noite foi o PS não ter vencido em Ponta Delgada, onde apresentava um bom projecto e uma equipa jovem e cheia de energia para inverter o rumo do concelho.
Não Podemos esquecer que o PS venceu a Câmara Municipal da Lagoa com 67,83% dos votos, a maior votação do PS a nível regional e uma das maiores a nível nacional.

Candidatos proibidos de usar Facebook na véspera de eleições

CapturarCandidatos proibidos de usar Facebook na véspera de eleições

Manifestantes exigem demissão do Governo e eleições imediatas nas galerias do Parlamento

Manifestantes exigem demissão do Governo e eleições imediatas nas galerias do Parlamento.

Declaração do Partido Socialista na sequência da comunicação do Presidente da República

O PS discorda politicamente da decisão do Senhor Presidente da República ao não convocar eleições para Setembro.

Mas respeitamos a decisão no plano institucional, como respeitamos as decisões de todos os órgãos de soberania.

O PS reafirma que não apoiará, nem fará parte de nenhum Governo sem que os Portugueses manifestem democraticamente a sua vontade, através da realização de eleições.

Perante a grave situação económica e social que o País vive, o PS continuará a apresentar propostas e soluções para resolver os problemas dos portugueses, de modo a que o nosso País saia desta gravíssima situação o mais rápido possível.

O PS escutou atentamente a declaração do Senhor Presidente da República e, tal como lhe compete, aguardará as iniciativas do Senhor Presidente da República.

Na opinião do PS, esse diálogo não deve excluir nenhum partido político com representação parlamentar.

É nestes termos, e reafirmando todas as nossas posições, designadamente de censura às políticas deste Governo, que o PS não rejeita, como nunca rejeitou, nenhum diálogo, em particular quando está em jogo o interesse nacional e o futuro dos portugueses.
– See more at: http://www.ps.pt/noticias/noticias/declaracao-do-partido-socialista-na-sequencia-da-comunicacao-do-presidente-da-republica.html#sthash.BV0fDFBh.dpuf

Líder do PS quer eleições porque atual Governo “chegou ao fim”

O secretário-geral do PS, António José Seguro, defendeu a realização de eleições antecipadas como uma solução para a “grave crise” de Portugal, por considerar que o atual Governo da maioria PSD/CDS “chegou ao fim”.

LUSA

Açores – Eleição para a Assembleia Legislativa 2012


Acabou a campanha

Constitui entendimento da CNE que por todos os cidadãos e entidades deve ser respeitado o escopo da lei, que proíbe qualquer propaganda eleitoral na véspera do ato eleitoral e no próprio dia da eleição, até ao encerramento das assembleias de voto. Nesse sentido, entende a Comissão que «não podem ser transmitidas notícias, reportagens ou entrevistas que de qualquer modo possam ser entendidas como favorecendo ou prejudicando um concorrente às eleições, em detrimento ou vantagem de outro» (CNE 19/IV/1982).
Por outro lado, o dever de respeito pelo chamado período de reflexão implica a abstenção da prática de atos de propaganda ou com ela relacionados na véspera e no dia da eleição.
É proibido praticar ações ou desenvolver atividades de propaganda eleitoral por qualquer meio na véspera e no dia da eleição até ao fecho das urnas.
A lei não permite que, findo o período de campanha eleitoral definido no art.o 55.o da presente lei, se assuma qualquer tipo de comportamento público suscetível de integrar o conceito de propaganda tal como a lei o define.

Presidente do Governo salienta importância das eleições de 14 de outubro

O Presidente do Governo espera que todos os açorianos “tomem consciência da importância do voto, que participem nestas eleições e que delas resulte um sufrágio do qual não haja quaisquer dúvidas e que reflita a vontade maioritária do povo açoriano”.

Carlos César falava aos jornalistas, no início da tarde de hoje, após ter recebido em audiência no Palácio de Santana o Presidente da Comissão Nacional de Eleições, o Juiz Conselheiro Fernando Costa Soares.

Para Carlos César, “nós vivemos numa democracia muito viva do ponto de vista da sua pluralidade, da convivência que ela proporciona entre os seus diversos atores, e é isso que muitas vezes nos tem distinguido positivamente. O Presidente do Governo estima que estas eleições regionais, marcadas para 14 de Outubro, decorram, como sempre nos Açores, “no respeito escrupuloso pela lei, com igualdade de oportunidades para todos os intervenientes”.

“Espero também”, acrescentou, “que os açorianos tomem consciência da importância de uma eleição para um órgão autonómico, como é a Assembleia Legislativa, e para a formação do novo Governo”.

Carlos César considerou, no entanto, que existem “problemas no que diz respeito à qualidade dos nossos cadernos eleitorais e do recenseamento eleitoral”. Trata-se, de resto, de uma competência que não é da administração regional.

Para o Presidente do Governo dos Açores “não é credível que tenhamos um universo residente na Região tão elevado como aquele que apontam os nossos cadernos eleitorais. Isso já foi discutido e é do conhecimento generalizado que esse processo tem alguns vícios na sua formação e, portanto, haverá uma abstenção real e uma abstenção que é exponenciada pela falta de qualidade desses cadernos”, alertou.

GaCS/CT/SF

Mário Soares sugere nomeação de novo Governo sem recurso a eleições antecipadas

Mário Soares sugeriu que o chefe de Estado nomeie um novo Governo sem recurso a eleições antecipadas.
“Se o Governo não se sente moribundo é porque não tem sensibilidade. Se o Governo tivesse sensibilidade talvez se demitisse, mas como não tem sensibilidade não se demite por enquanto. Mas devia demitir-se, como já devia ter demitido o senhor [ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares] Miguel Relvas e não demitiu”.
“A crise está instalada. Querem maior crise do que o país a gritar vão-se embora e a chamar gatunos aos membros do Governo? Foi o que aconteceu no sábado”.
“Estamos num momento de crise e está a tentar-se destruir uma parte daquilo que foi feito desde o 25 de Abril de 1974 até agora. Tudo aquilo que é social está a ir abaixo e é por isso que o Governo está numa situação de crise e que os portugueses se manifestaram sábado passado de uma maneira tão espontânea e tão clara”.

Presidente da República marcou para 14 de outubro eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores

O Presidente da República, ouvidos os partidos políticos com representação na Assembleia Legislativa da Região, marcou a realização das eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores para o dia 14 de outubro de 2012.

Cavaco adia marcação de data das eleições nos Açores por falta de consenso dos partidos

Vasco Cordeiro considera 21 de Outubro como a data que “melhor serve os interesses dos Açores”.

O PSD e o PPM defenderam que as eleições deveriam ocorrer a 7 de Outubro ou 30 de Setembro.

O CDS-PP aponta para 7 ou 14 de Outubro.

O BE e o PCP indicaram 21 de Outubro como a data preferencial.

Eleições a 21 de Outubro servem o interesse dos Açores e dos Açorianos, defende Vasco Cordeiro

O candidato do PS/Açores à Presidência do Governo Regional defendeu, esta segunda-feira, que as eleições para a Assembleia Legislativa deverão se realizar a 21 de Outubro por “ser muito importante” que os diversos partidos e todos os Açorianos sejam chamados a votar “já conhecedores” das propostas do Orçamento de Estado para 2013.
“Não podemos esquecer que cerca de 30 por cento dos recursos do Orçamento Regional resultam de transferências do Orçamento de Estado para a Região Autónoma dos Açores e, desse ponto de vista, é muito útil que os partidos possam ser conhecedores dos recursos que a Região disporá em 2013”, afirmou Vasco Cordeiro.
“Se assim não fosse, correr-se-ia o risco de se realizarem as eleições e, no dia seguinte, estarem desactualizadas as propostas apresentadas”, alertou Vasco Cordeiro, que falava aos jornalistas depois de ter liderado uma comitiva do Partido Socialista que foi recebida, em audiência, pelo Presidente da República, no âmbito do processo de marcação das próximas eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.
Além de Vasco Cordeiro, a comitiva do Partido Socialista nacional era composta por Ana Luís, cabeça-de-lista pela ilha do Faial, Maria João Carreiro, dirigente regional, e Berto Messias, líder do Grupo Parlamentar do PS no Parlamento dos Açores.
Segundo o candidato socialista, é também muito relevante para os Açorianos que estas eleições se realizem com o conhecimento das matérias que, no Orçamento de Estado, lhes dizem respeito e a forma como os partidos políticos entendem que devem tratar estas mesmas matérias.
Além disso, existe um elemento histórico que justifica esta data. Desde 1996, em quatro eleições que se realizaram para o Parlamento, três decorreram no terceiro domingo do mês de Outubro.
Em 2008, por exemplo, as eleições regionais realizaram-se a 19 de Outubro, quatro dias depois de ter sido apresentado o Orçamento de Estado.
“Perante isso tudo, a solução que melhor serve o interesse dos Açores e dos Açorianos é as eleições se realizarem no terceiro domingo de Outubro, ou seja, no dia 21”, concluiu Vasco Cordeiro.

2012-07-16 16:48:29, por PS/Açores

Rui Rio defende que câmaras endividadas não devem ter eleições

“Quando uma câmara está excessivamente endividada, quem vier depois a ganhar eleições não tem margem para tomar qualquer decisão política. As câmaras endividadas não deviam ter eleições, mas sim uma comissão administrativa para a gestão corrente, até estarem equilibradas”.

“Há candidaturas com agendas escondidas para aplicar nos Açores”

“Há candidaturas às eleições de Outubro com agendas escondidas para aplicar nos Açores. Agora dizem uma coisa, mas tudo já indicia que se preparavam para fazer outra, qualquer coisa como gato escondido com rabo de fora”.

“O Banco Central Europeu, a Comissão Europeia, o Tribunal de Contas, o Governo da República e o Fundo Monetário Internacional já atestaram as nossas finanças públicas, mas essa candidatura acha que as nossas finanças públicas não estão como todas estas entidades certificam”.

“… querer criar dificuldades ao Governo Regional ignorando, por completo, que assim estão a prejudicar as Açorianas e os Açorianos”.

“Também se sabe que, desde Agosto do ano passado, o Governo Regional já disse ao Governo da República que queria rever essa lei, para garantir passagens mais baratas para as Açorianas e para os Açorianos, mas o que assistimos é a um silêncio ensurdecedor da parte do Governo da República”.

“A solução do Governo Regional não passa por ser os Açorianos a pagarem. Como é que alguém que diz defender a Autonomia pode propor uma coisa destas?”, perguntou Vasco Cordeiro, ao lembrar que, na Madeira, é o “Governo da República que paga o transporte aéreo do Continente para a Região e inter-ilhas e, nos Açores, que já paga o transporte inter-ilhas, ainda há alguém que quer que se pague também o transporte para o continente”.

Carlos César diz que PSD só criticou a sua viagem ao Brasil pela proximidade das eleições

Carlos César diz que PSD só criticou a sua viagem ao Brasil pela proximidade das eleições.
“Eu tenho pena que o PSD tenha esta deterioração de comportamento e de avaliação só porque existem eleições regionais próximas”.
“Se isso é tão importante, então porque é que ele não estranha que a sua líder, como presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, nestes últimos 12 meses, tenha ido uma vez ao Brasil, duas vezes aos Estados Unidos, uma vez ao Canadá e até tenha ido às Astúrias, à inauguração de um museu que já fechou, além de uma célebre viagem anterior à Coreia do Sul, da qual ainda estou à espera para descobrir quais as vantagens que daí advieram para os Açores”.
http://ht.ly/andoF

Quem Ganha e quem Perde com o aumento de 7 deputados, nas eleições de Outubro, fruto dos “eleitores fantasma”?

Irregularidades nas Eleições na Madeira

Transporte ilegal e presença de membros das juntas nas secções de voto são as situações “mais graves” reportadas – CNE
O transporte ilegal de pessoas e a presença de membros das juntas perto das secções de voto são as duas situações mais graves nas eleições legislativas da Madeira reportadas à Comissão Nacional de Eleições (CNE).

O que é lamentável na democracia na Madeira é que 35 anos depois da implantação desse regime, ainda se registem graves irregularidades, designadamente no voto acompanhado, no transporte de eleitores por candidatos do PSD em carros da Empresa de Electricidade da Madeira e das câmaras municipais“, disse José Manuel Rodrigues.

problemas na identificação dos eleitores junto das mesas de voto, bem como a negação de algumas mesas em aceitarem as reclamações para a acta dos delegados dos partidos que estão presentes nas diversas secções de voto“.

Isto é lamentável, isto é a Madeira, temos que mudar a Madeira e eu espero que seja hoje“, declarou José Manuel Rodrigues

Sondagem CM/Aximage: Eleições no PS

“melhor líder do PS”

António José Seguro – 42,3%

Francisco Assis – 34,9%

%d bloggers like this: