Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Tag Archives: outubro

Eleições Legislativas a 4 de outubro

Cavaco Silva marca eleições legislativas para dia 4 de outubro.

Anúncios

“Passagens aéreas interilhas vão ter maior descida de sempre a partir de Outubro”

“Passagens aéreas interilhas vão ter maior descida de sempre a partir de Outubro”, garante Francisco César
O Grupo Parlamentar do PS lamentou esta quinta-feira que o PSD tenha tentado, mais uma vez, apropriar-se de uma boa decisão do Governo dos Açores, que já anunciou que irá baixar os preços das passagens interilhas a partir de outubro.

“Não deixa de ser curioso que o PSD/Açores, pela voz de Duarte Freitas, tenha vindo mais uma vez a público anunciar algo que já estava decidido pelo Governo dos Açores. Foi assim com as novas Obrigações de Serviço Público (OSP’s) de transporte aéreo entre Açores e Continente, foi assim com a redução de impostos e volta a ser assim com a redução das passagens aéreas nos voos interilhas. Esta postura de Duarte Freitas chega a ser confrangedora, até para o próprio PSD”, lamentou Francisco César.

Para o deputado socialista, seria preferível, por exemplo, que o “PSD/Açores se concentrasse em influenciar o PSD nacional para que estabelecesse condições de igualdade nas OSP’s interilhas com a Madeira, onde o Governo da República assume esse custo”, lembrando que “nos Açores, quem paga as OSP’s interilhas são os Açorianos, com os seus impostos”.

O Vice-Presidente do Grupo Parlamentar do PS lembrou que “alterar OSP’s não é matéria simples” e que a “entrada em vigor das novas regras tem de ser, obrigatoriamente, publicada no Jornal Oficial da União Europeia, o que demora no mínimo seis meses”.

Francisco César criticou Duarte Freitas por “saber que o executivo regional anunciou em fevereiro as novas OSP’s, com entrada em vigor em outubro deste ano, tendo procurado apropriar-se desta boa decisão do Governo dos Açores”.

“O novo modelo para os voos entre as nove ilhas dos Açores traduzir-se-á numa descida média de 20% em relação às tarifas atuais – a maior redução de sempre dos preços – um complemento muito importante às melhorias que as novas OSP’s vieram trazer nas ligações entre os Açores e o restante território nacional. Trata-se de um concurso público internacional que se traduzirá numa concessão durante cinco anos, com um valor aproximado de 135 milhões de euros. Será estipulado um preço máximo nos voos interilhas de 120 euros, estando ainda previstos blocos de custo máximo do bilhete de 100 euros, 90 euros e 60 euros, está prevista a realização de voos adicionais sempre que se verifiquem listas de espera superiores a 5% da capacidade semanal e não existam viagens nas 48 horas seguintes; está ainda imposta a oferta de frequências adicionais para fazer face ao tráfego extraordinário gerado por eventos, sendo possível que um passageiro de qualquer ilha apanhe, no mesmo dia, uma ligação ao exterior da Região”, esclareceu o deputado socialista.

“O Partido Socialista lamenta este tipo de jogadas políticas por parte do PSD e lamenta acima de tudo que o PSD procure protagonismo mediático com truques, em vez de lançar ideias e propostas sérias, concretas, em benefício dos Açores. O Partido Socialista não dará para este peditório, porque prefere concentrar-se todos os dias em encontrar boas soluções para melhorar a vida dos Açorianos”, sublinhou Francisco César.

2015-07-02 14:17:42, por PS/Açores

Mais de 1.700 crianças e jovens perderam o direito ao abono de família entre outubro e novembro

Mais de 1.700 crianças e jovens perderam o direito ao abono de família entre outubro e novembro, mês em que foram registados 1.143.154 beneficiários, revelam dados do Instituto da Segurança Social (ISS). Os dados da Segurança Social, atualizados a 02 de janeiro, indicam uma ligeira quebra de 0,15% no número de beneficiários desta prestação social face a outubro, mês em que foi atribuída a 1.144.922 crianças e jovens. Comparando com o mês homólogo do ano passado, em que foram registados 1.183.928 beneficiários, a quebra foi mais acentuada, com 40.774 crianças e jovens a perderam o direito ao abono de família em novembro (3,44%).

A taxa de desemprego (15 a 74 anos) estimada para outubro foi 13,4%

A taxa de desemprego (15 a 74 anos) ajustada de sazonalidade estimada para outubro de 2014 foi 13,4%. Este valor é superior, em 0,1 pontos percentuais, ao estimado para setembro de 2014.
A população desempregada ajustada de sazonalidade foi estimada em 688,3 mil pessoas, o que representa um aumento de 0,4% face a setembro de 2014 (mais 3,0 mil). A população empregada (15 a 74 anos), também ajustada de sazonalidade, foi estimada em 4 456,1 mil pessoas, mantendo-se inalterada face ao mês anterior.

Indicador de clima económico estabiliza em outubro. Consumo privado acelera e Investimento desacelera em setembro – Outubro de 2014

Na Área Euro (AE), o PIB em termos reais registou uma variação homóloga de 0,8% no 2º e 3º trimestre (1,0% no 1º trimestre). Em outubro, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico da AE agravaram-se. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -1,1% e -8,3%, respetivamente (-4,2% e -1,4% em setembro).
Em Portugal, de acordo com a estimativa rápida, o PIB registou um crescimento homólogo, em volume, de 1,0% no 3º trimestre, após a variação de 0,9% no trimestre anterior, enquanto a variação em cadeia foi 0,2% (0,3% no 2º trimestre). O indicador de clima económico, já disponível para o mês de outubro, estabilizou pelo segundo mês consecutivo no valor mais elevado desde julho de 2008. O indicador de atividade económica aumentou ligeiramente em setembro, enquanto os Indicadores de Curto Prazo (ICP) apresentaram sinais negativos sobre a atividade económica na indústria, na construção e obras públicas e em setores de serviços. O indicador quantitativo do consumo privado apresentou um crescimento homólogo mais expressivo em setembro, refletindo o contributo positivo de ambas as componentes, sobretudo da componente de consumo corrente. No mesmo mês, o indicador de FBCF diminuiu, em resultado do contributo negativo mais acentuado da componente de construção e do contributo positivo menos significativo da componente de material de transporte. Relativamente ao comércio internacional de bens, em termos nominais, as exportações e importações apresentaram variações homólogas de 1,5% e 2,5% em setembro (2,6% e 3,7% no mês anterior), respetivamente. Não considerando médias móveis de três meses, as exportações e importações nominais de bens passaram de uma taxa de -2,2% e -2,3% em agosto para 3,7% e 5,6% em setembro, respetivamente, o que poderá ser parcialmente explicado por se ter verificado, em agosto e setembro de 2014, menos um dia útil e mais um dia útil, respetivamente, que nos meses homólogos.
No 3º trimestre, a taxa de desemprego situou-se em 13,1% (13,9% no trimestre anterior). O emprego registou um crescimento homólogo de 2,1% no 3º trimestre (2,0% no trimestre anterior). A população ativa diminuiu 0,7% em termos homólogos (variação de -0,9% no trimestre precedente).
O Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga mensal nula em outubro (-0,4% em agosto e setembro). No último mês, observaram-se taxas de -0,7% na componente de bens (-1,1% em setembro) e de 1,0% na de serviços, mais 0,3 pontos percentuais (p.p.) que no mês anterior. A taxa de variação homóloga mensal do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) foi 0,3 p.p. inferior à da AE em outubro, tal como verificado em setembro.

Taxa de variação homóloga do IPC foi nula em Outubro

Em outubro de 2014, a variação homóloga do IPC situou-se em 0,0%, taxa 0,4 pontos percentuais (p.p.) superior à observada no mês anterior. O indicador de inflação subjacente, medido pelo índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou uma taxa de variação homóloga de 0,2% (0,1% no mês anterior).
A variação mensal do IPC foi 0,3% (0,6% em setembro de 2014 e 0,0% em outubro de 2013). A variação média dos últimos doze meses aumentou 0,1 p.p. para -0,2%.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,1% (0,0% em setembro de 2014), taxa inferior em 0,3 p.p. à estimada pelo Eurostat para a área do Euro (diferença igual à registada em setembro de 2014). A taxa de variação mensal do IHPC situou-se em 0,0% (0,5% no mês anterior e -0,1% em outubro de 2013) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi -0,1%, à semelhança do mês anterior.

O diretor comercial para Portugal da easyJet admitiu hoje que a companhia aérea pretende colocar à venda o destino Ponta Delgada na primeira quinzena de outubro e começar a voar para os Açores a partir de março de 2015

(Lusa) – O diretor comercial para Portugal da easyJet admitiu hoje que a companhia aérea pretende colocar à venda o destino Ponta Delgada na primeira quinzena de outubro e começar a voar para os Açores a partir de março de 2015. “No início de outubro, iremos colocar à venda os novos destinos. Então, de forma ideal, nós gostaríamos de colocar à venda o destino Ponta Delgada até final da primeira quinzena de outubro”, disse José Lopes aos jornalistas a saída de uma reunião com o Governo Regional dos Açores. O diretor comercial esteve em Ponta Delgada para se inteirar do estado do processo de liberalização de parte do espaço aéreo regional e admitiu que “o prazo começa a ser curto ‘, correndo-se o risco de se fazer “uma operação mais pequena nos Açores” ou de o serviço para o arquipélago ficar em causa.

As exportações aumentaram 4,6% e as importações 1,2% – Outubro de 2013

As exportações de bens aumentaram 4,6% e as importações de bens 1,2% no trimestre terminado em outubro de 2013, face ao período homólogo (agosto de 2012/outubro de 2012), tendo-se verificado uma redução do défice da balança comercial no montante de 331,8 milhões de euros e um aumento da taxa de cobertura de 2,6 pontos percentuais (p.p.) para 79,7%.
Em termos de taxa de variação homóloga, em outubro de 2013 as exportações de bens aumentaram 4,2% e as importações de bens 3,7% (respetivamente +9,9% e +3,5% em setembro de 2013).
INE

Relógios atrasam uma hora na próxima madrugada

Relógios atrasam uma hora na próxima madrugada.
No dia 27 de Outubro de 2013, tem início o período de “Hora de Inverno”.

Os relógios irão ser atrasados 60 minutos às 2h00 da madrugada de Domingo em Portugal continental e na Região Autónoma da Madeira, passando para a 1h00.

Na Região Autónoma dos Açores a mudança será feita à 1h00 da madrugada de Domingo, dia 27 de Outubro, passando para a meia-noite (00h00).

Consumo privado e investimento apresentam reduções menos intensas em outubro. Exportações nominais desaceleram e atenua-se a diminuição das importações – Novembro de 2012

Em novembro, os indicadores de sentimento económico e de confiança dos consumidores da Área Euro (AE) voltaram a agravar-se. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -2,7% e -1,3% (-3,0% e -1,9% em outubro), respetivamente.
Em Portugal, o indicador de clima económico diminuiu entre setembro e novembro, interrompendo o movimento ascendente anterior e atingindo o mínimo da série. O indicador de atividade económica, disponível até outubro, registou uma redução ligeiramente menos expressiva, contrariando o comportamento observado nos dois meses precedentes. O indicador de consumo privado apresentou uma diminuição homóloga menos acentuada em outubro, refletindo sobretudo o contributo negativo menos significativo da componente de consumo corrente. O indicador de FBCF diminuiu de forma ligeiramente menos intensa em outubro, em resultado da evolução negativa menos expressiva das componentes de construção e de material de transporte. Relativamente ao comércio internacional de bens, em termos nominais, as exportações e importações registaram variações homólogas de 3,4% e -0,6% em outubro (4,2% e -4,9% no mês anterior), respetivamente.
A variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) passou de 2,1% em outubro para 1,9% em novembro. Este comportamento resultou da desaceleração do índice da componente de bens, que passou de uma variação homóloga de 1,6% em outubro para 1,2%. Por sua vez, a variação homóloga do índice da componente de serviços estabilizou, mantendo uma taxa de 3,0% nos últimos dois meses. Excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, o IPC registou uma taxa de variação homóloga de 1,2% em novembro, mais 0,1 p.p. que nos dois meses anteriores. O diferencial entre a variação homóloga do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) de Portugal e da AE situou-se em -0,3 p.p. (-0,4 p.p. em outubro).
INE

Valor médio de avaliação bancária manteve tendência decrescente – Outubro de 2012

O valor médio de avaliação bancária de habitação  do total do País fixou-se em 1026 euros/m2 em outubro de 2012, o que se traduziu em variações em cadeia de -0,1% (variação idêntica à observada em setembro) e de -6,1% em termos homólogos (-7,0% no mês anterior). Na Área Metropolitana de Lisboa a variação em cadeia situou-se em -0,4%, enquanto na do Porto esta variação foi 0,5%. Em termos homólogos o valor médio de avaliação bancária nas duas Áreas Metropolitanas diminuiu 8,5% e 7,0%, respetivamente.

Consumo privado e investimento registam reduções mais intensas em setembro. Exportações nominais desaceleram e importações acentuam diminuição – Outubro de 2012

Na Área Euro (AE), o PIB em termos reais registou uma variação homóloga de -0,6% no 3º trimestre de 2012
(-0,4% no trimestre anterior). Em outubro, os indicadores de sentimento económico e de confiança dos consumidores registaram um novo agravamento. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -3,0% e -1,9% (1,8% e -4,0% em setembro), respetivamente.
Em Portugal, de acordo com a estimativa rápida, o PIB em volume apresentou uma taxa de variação homóloga de
-3,4% no 3º trimestre de 2012 (-3,2% no trimestre anterior) e uma variação de -0,8% face ao trimestre precedente. A evolução do PIB no trimestre de referência traduziu a redução significativa do contributo positivo da procura externa líquida. O indicador de clima económico diminuiu em setembro e outubro, interrompendo o ténue movimento ascendente anterior. O indicador de atividade económica, disponível até setembro, registou uma redução ligeiramente mais expressiva nos dois últimos meses, contrariando o comportamento observado em julho. O indicador de consumo privado apresentou uma diminuição homóloga mais acentuada em setembro, refletindo o contributo negativo mais significativo da componente de consumo corrente. O indicador de FBCF diminuiu de forma ligeiramente mais intensa em setembro, em resultado da evolução negativa mais expressiva da componente de construção. Relativamente ao comércio internacional de bens, em termos nominais, as exportações e importações registaram variações homólogas de 4,5% e -4,2% em setembro (10,6% e -2,4% no mês anterior), respetivamente.
No 3º trimestre de 2012, a taxa de desemprego situou-se em 15,8% (mais 0,8 p.p. que no trimestre anterior). O emprego total e o emprego por conta de outrem registaram variações homólogas de -4,1 e de -5,1%, respetivamente (-4,2 e -5,0% no 2º trimestre, pela mesma ordem).
A variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) passou de 2,9% em setembro para 2,1% em outubro. Excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, o IPC estabilizou, registando uma taxa de variação homóloga de 1,1% em setembro e outubro, menos 0,3 p.p. que em agosto. O diferencial entre a variação homóloga do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) de Portugal e da AE situou-se em -0,4 p.p. em outubro (0,3 p.p. em setembro).

Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 2,1% – Outubro de 2012

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação homóloga de 2,1% em outubro de 2012 (2,9% no mês anterior). Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação homóloga foi 1,1%, igual à observada em setembro para o mesmo agregado. O IPC apresentou uma variação mensal de 0,3% (0,6% em setembro de 2012 e 1,1% em outubro de 2011). A variação média dos últimos doze meses situou-se em 3,1%, inferior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) à registada no mês anterior.
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma taxa de variação homóloga de 2,1% (2,9% em setembro de 2012), inferior em 0,4 p.p. à estimada pelo Eurostat para a área do Euro. No mês anterior este diferencial foi 0,3 p.p.. A taxa de variação mensal do IHPC situou-se em 0,1% e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 3,1%.

A taxa de variação homóloga do mês de Outubro, nos Açores, fixou-se nos 2,53%, tendo a nacional atingido 2,13%. A taxa de inflação média nos Açores foi de 3,06%, enquanto a nível nacional foi de 3,08%. A taxa de variação mensal foi 0,23% nos Açores e 0,31% no total do país.

Indicadores de confiança dos Consumidores e de clima económico em trajetória descendente – Outubro de 2012

O indicador de confiança dos Consumidores reduziu-se nos últimos dois meses, de forma mais expressiva em outubro, interrompendo o movimento ascendente iniciado em fevereiro.
O indicador de clima económico diminuiu em setembro e outubro, mais significativamente no último mês, contrariando o perfil positivo iniciado em março. Nos últimos dois meses, os indicadores de confiança agravaram-se em todos os setores, Indústria Transformadora, Construção e Obras Públicas, Comércio e Serviços.

Presidente da República marcou para 14 de outubro eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores

O Presidente da República, ouvidos os partidos políticos com representação na Assembleia Legislativa da Região, marcou a realização das eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores para o dia 14 de outubro de 2012.

Eleições a 21 de Outubro servem o interesse dos Açores e dos Açorianos, defende Vasco Cordeiro

O candidato do PS/Açores à Presidência do Governo Regional defendeu, esta segunda-feira, que as eleições para a Assembleia Legislativa deverão se realizar a 21 de Outubro por “ser muito importante” que os diversos partidos e todos os Açorianos sejam chamados a votar “já conhecedores” das propostas do Orçamento de Estado para 2013.
“Não podemos esquecer que cerca de 30 por cento dos recursos do Orçamento Regional resultam de transferências do Orçamento de Estado para a Região Autónoma dos Açores e, desse ponto de vista, é muito útil que os partidos possam ser conhecedores dos recursos que a Região disporá em 2013”, afirmou Vasco Cordeiro.
“Se assim não fosse, correr-se-ia o risco de se realizarem as eleições e, no dia seguinte, estarem desactualizadas as propostas apresentadas”, alertou Vasco Cordeiro, que falava aos jornalistas depois de ter liderado uma comitiva do Partido Socialista que foi recebida, em audiência, pelo Presidente da República, no âmbito do processo de marcação das próximas eleições para a Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.
Além de Vasco Cordeiro, a comitiva do Partido Socialista nacional era composta por Ana Luís, cabeça-de-lista pela ilha do Faial, Maria João Carreiro, dirigente regional, e Berto Messias, líder do Grupo Parlamentar do PS no Parlamento dos Açores.
Segundo o candidato socialista, é também muito relevante para os Açorianos que estas eleições se realizem com o conhecimento das matérias que, no Orçamento de Estado, lhes dizem respeito e a forma como os partidos políticos entendem que devem tratar estas mesmas matérias.
Além disso, existe um elemento histórico que justifica esta data. Desde 1996, em quatro eleições que se realizaram para o Parlamento, três decorreram no terceiro domingo do mês de Outubro.
Em 2008, por exemplo, as eleições regionais realizaram-se a 19 de Outubro, quatro dias depois de ter sido apresentado o Orçamento de Estado.
“Perante isso tudo, a solução que melhor serve o interesse dos Açores e dos Açorianos é as eleições se realizarem no terceiro domingo de Outubro, ou seja, no dia 21”, concluiu Vasco Cordeiro.

2012-07-16 16:48:29, por PS/Açores

Cabeças-de-lista do PS/Açores às eleições legislativas de Outubro

São Miguel: Vasco Cordeiro.
Corvo: Iasalde Fraga Nunes, empresário de restauração.
Flores: Manuel Pereira, topografo.
Faial: Ana Luís, economista.
Pico: Miguel Costa, licenciado em Direito.
São Jorge: André Rodrigues, arquitecto.
Graciosa: José Gregório Ávila, bancário.
Terceira: Sérgio Ávila, economista.
Santa Maria: Duarte Moreira, engenheiro zootécnico.

Comício em Ponta Delgada com a presença de António José Seguro, Carlos César e Vasco Cordeiro


Carlos César, no comício em Ponta Delgada:

“Sei que o desejo dos Açorianos é de continuarmos em frente e de não voltarmos para trás. De continuar a fazer, no Governo dos Açores, o que é bom e o que deu certo e a fazer de forma diferente aquilo que não resultou bem, de corrigir sem destruir, de congregar gente nova sem perseguir as pessoas, de renovar com confiança”.

Vasco Cordeiro
É preciso estar alerta e cerrar fileiras em defesa da nossa Autonomia, que não é a do artigo na Constituição ou no Estatuto Político-Administrativo, mas a que ajuda as Açorianas e os Açorianos.

A Autonomia de sermos nós a criar e a aumentar o complemento regional de pensão para os nossos idosos e o complemento regional do abono família, enquanto noutras partes do país se corta nos apoios sociais.

Quem Ganha e quem Perde com o aumento de 7 deputados, nas eleições de Outubro, fruto dos “eleitores fantasma”?

Índice de Produção Industrial apresenta taxa de variação do positiva – Outubro de 2011

Em outubro, o índice de produção industrial apresentou uma variação homóloga de 0,7%, o que compara com a variação de -1,9% observada em setembro. A secção das Indústrias Transformadoras apresentou uma variação homóloga de -2,2% (-0,9% no mês anterior).

Taxa de variação homóloga do IPC situou-se em 4,2% – Outubro de 2011

Em outubro de 2011, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação homóloga de 4,2%, superior à verificada em setembro (3,6%). A aceleração do IPC esteve fundamentalmente associada à alteração das taxas do IVA sobre a eletricidade e o gás natural. Excluindo do IPC a energia e os bens alimentares não transformados, a taxa de variação homóloga foi 2,5% (2,5% em setembro de 2011). O IPC apresentou uma variação mensal de 1,1% (0,8% em setembro de 2011 e 0,4% em outubro de 2010). A variação média dos últimos doze meses situou-se em 3,4% (3,3% em setembro de 2011).
O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma taxa de variação homóloga de 4,0%, 0,5 p.p. superior ao valor de setembro de 2011 e 1,0 p.p. superior à estimada pelo Eurostat para a área do Euro em outubro. A taxa de variação mensal do IHPC situou-se em 0,9% e a taxa de variação média dos últimos doze meses aumentou 0,1 p.p., para 3,3%.

Indicador de clima económico e indicador de confiança dos Consumidores agravam-se em outubro – Outubro de 2011

O indicador de clima económico diminuiu em outubro, mantendo o acentuado perfil descendente iniciado em julho de 2010 e aproximando-se do mínimo histórico registado em março e abril de 2009. No mês de referência, todos os indicadores de confiança sectoriais apresentaram agravamentos.
O indicador de confiança dos Consumidores diminuiu significativamente nos últimos dois meses, atingindo em outubro o mínimo da série.

%d bloggers like this: