Ilhas Bruma – Açores

Açores Online "Antes morrer livres que em paz sujeitos"

Tag Archives: turismo

Futuro do turismo nos Açores assenta em cinco prioridades

O Secretário Regional do Turismo e Transportes apresentou hoje, nas Lajes das Flores, as cinco prioridades definidas pelo Governo dos Açores para o setor do turismo, que cada vez mais se assume como um dos pilares de desenvolvimento económico e social da Região.

Na cerimónia de apresentação da ‘Grande Rota das Flores’, um percurso pedestre de 40 quilómetros que permite aos utilizadores conhecer a riqueza paisagística e patrimonial da ilha, no que é um exemplo da materialização da aposta do Executivo açoriano no turismo de natureza ativa, Vítor Fraga salientou a importância de continuar a tirar partido das particularidades naturais e paisagísticas do arquipélago, numa perspetiva de sustentabilidade que eleve qualitativamente os Açores como destino turístico.

“Nesse sentido, o Governo dos Açores definiu cinco prioridades que deverão guiar a organização dos produtos turísticos e a tomada de decisão ao nível da abordagem aos mercados, da alocação dos recursos e das escolhas dos canais de distribuição mais adequados”, frisou.

“Como primeira prioridade, desenvolver a atratividade do destino, desenvolver a oferta numa lógica de complementaridade entre ilhas, com produtos alinhados de acordo com os mercados alvo”, afirmou o titular da pasta do Turismo.

A segunda prioridade passa por qualificar a oferta em parceria com os operadores locais, ao nível das infraestruturas atuais e a desenvolver, sensibilizar a população para o turismo, capacitar os recursos humanos e, de forma transversal, criar e implementar o conceito de serviço dos Açores.

A centralização do esforço de marketing será a terceira prioridade, tendo em vista a “captação de mercados de alto valor, ambientalmente conscientes, que desejem circular por várias ilhas, que viajem para os Açores na época baixa, que gastem no destino, que consumam muitas atividades e que tenham tendência para repetir a visita”, acrescentou Vítor Fraga.

A quarta prioridade passa pelo desenvolvimento de parcerias com os vários intervenientes no setor, nomeadamente operadores turísticos, empresários, aeroportos, companhias aéreas e marítimas, no sentido de se maximizarem os esforços de marketing, para que se obtenham os melhores resultados para o destino.

“Como quinta prioridade, trabalhar com os canais de distribuição adequados para que os mercados-alvo sejam devidamente alcançados, sendo que as cinco prioridades serão materializadas no plano estratégico e de marketing da Região para o período 2015-20”, acrescentou Vítor Fraga.

Ainda no âmbito da definição de prioridades, o Secretário Regional salientou o processo de revisão do Plano de Ordenamento do Turismo da Região Autónoma dos Açores (POTRAA), dando assim cumprimento ao que está previsto no Programa do Governo.

“Para além da necessidade de melhorar a abordagem ao desenvolvimento dos produtos turísticos, a revisão do POTRAA vai assegurar uma melhor estruturação da oferta turística em matéria de produtos de maior relevância, assumindo-se, por esta via, como instrumento fundamental para enfrentar os desafios atuais do turismo açoriano”, afirmou.

Vítor Fraga frisou ainda que o POTRAA deverá incluir um novo conceito de desenvolvimento sustentável nos Açores, que “considere uma visão abrangente, englobando os setores económicos e conexos do turismo, que identifique a capacidade ideal de carga turística e os recursos âncora estratégicos, complementares de cada ilha, para o turismo e a sua conservação em serviços de apoio”.

Como exemplo das especificidades de cada ilha que podem permitir diferentes potenciais para atividades turísticas, Vítor Fraga destacou, no caso das Flores, o seu caráter diferenciador, “com especial apetência para atividades em contato com a natureza, como o canyoning, o mergulho, o birdwatching e o pedestrianismo”.

“É uma das ilhas que mais contribui para a valorização dos Açores como destino do turismo de natureza”, frisou.

No caso particular dos trilhos, como o que hoje foi apresentado, Vítor Fraga destacou que estes circuitos foram uma das grandes apostas e hoje são um produto bem consolidado na Região, existindo atualmente 80 trilhos homologados e distribuídos por todas as ilhas, que correspondem a uma extensão superior a 716 quilómetros.

“Atualmente, os trilhos pedestres são um cartaz turístico da Região, procurado por muitos dos turistas que nos visitam”, salientou o Secretário Regional, acrescentando que “os dados mais recentes indicam que mais de 50% dos turistas que nos visitam utilizam os nossos trilhos”.
GaCS/SRTT/HB

Anúncios

ATIVIDADE TURÍSTICA

  Na Região Autónoma dos Açores, no mês de maio, os estabelecimentos hoteleiros registaram 124,8 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 26,6%.
Os proveitos totais atingiram 5,2 milhões de euros e os de aposento 3,8 milhões, correspondendo a variações homólogas, respetivamente de 24,5% e 28,0%.

Governo atento às situações que não acompanham tendência de crescimento acentuado do Turismo

O Presidente do Governo afirmou que as estatísticas do Turismo, hoje divulgadas, provam que o setor está a ter um crescimento acentuado e generalizado na Região, mas salientou que o Executivo está a fazer uma leitura atenta das ilhas que não estão a acompanhar esta tendência.

“É um facto que a generalidade das nossas ilhas está a crescer em termos turísticos”, como é o caso de S. Miguel e da Terceira, com crescimentos acima dos 26 e 23 por cento, respetivamente, em maio deste ano, quando comparado com o mesmo mês de 2014, afirmou Vasco Cordeiro, acrescentando que “há ilhas em relação às quais temos de ter uma atenção mais pormenorizada, porque os números não correspondem a esta tendência”, caso da Graciosa e de Santa Maria.

O Presidente do Governo falava aos jornalistas em Ponta Delgada, após ter recebido, em audiência, Kirsty Hayes, Embaixadora do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, um mercado que, entre janeiro e maio deste ano, registou um crescimento do número de dormidas de 50,6 por cento.

Questionado pelos jornalistas sobre os dados da atividade turística hoje divulgados, que indicam um crescimento de dormidas em maio, nos Açores, de 26,6 por cento em relação ao mesmo mês de 2014, Vasco Cordeiro recordou que a Região está a crescer, desde novembro de 2014, na ordem dos dois dígitos neste indicador.

“É natural que o novo modelo de acessibilidades aéreas à Região tenha, também, um impacto decisivo deste ponto de vista”, referiu Vasco Cordeiro, ao adiantar que este setor está a fazer um caminho de recuperação “depois de alguns anos em que os Açores foram muito penalizados”.

“Esperamos que este caminho continue com a confluência de diversos fatores, como as acessibilidades, a qualidade de serviço e os cuidados da parte de entidades públicas e privadas”, realçou o Presidente do Governo.

No final do encontro com a Embaixadora Kirsty Hayes, Vasco Cordeiro garantiu que, da parte do Executivo Regional, há todo o interesse em aprofundar estes contactos e a notoriedade que os Açores já assumem no Reino Unido como destino turístico.

“Não é apenas este o mercado que cresce nesta ordem de grandeza”, frisou o Presidente do Governo, apontando os exemplos dos mercados emissores dos EUA, que cresceu 59,5 por cento de janeiro a maio deste ano, em relação ao mesmo período de 2014, do Canadá (mais 61,6 por cento) e da Alemanha (mais 26,4 por cento).
GaCS/PC

Plano Estratégico de Turismo finalizado em meados de 2015

O Secretário Regional do Turismo e Transportes revelou hoje, em Ponta Delgada, que o Plano Estratégico para o Turismo dos Açores, para o horizonte 2020, deverá estar concluído até ao final de maio.

Vítor Fraga salientou que, após uma fase de auscultação dos agentes do mercado, vão continuar agora a ser recolhidos contributos por todo o arquipélago, para decidir sobre as ações a tomar neste cada vez mais importante setor da economia regional.

O Secretário Regional, em declarações aos jornalistas à margem da conferência Turismo 2020: Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal, onde foi um dos oradores, frisou que o plano estratégico “tem vindo a desenvolver toda a análise do perfil de turista que visita a Região ou dos potenciais turistas”, passando agora para outra fase, “onde existirão reuniões em todas as ilhas, abertas à participação de todos, onde todos poderão dar o seu contributo e para que todos se revejam numa política de desenvolvimento estratégico do setor para 2020, no sentido de ser um setor sustentável, capaz de gerar riqueza, preservar e criar postos de trabalho”.

Vítor Fraga sublinhou que serão ouvidas não só pessoas ligadas ao setor, mas a toda a população, já que a visão do Governo dos Açores é a de que “o turismo só será bom se for efetivamente bom para todos os que vivem na Região”, lembrando ainda que o Plano Estratégico, assim como outros fatores, como as mudanças nas acessibilidades, farão com que 2015 “seja um ano de muito trabalho” para os parceiros do setor.

Ainda no âmbito da estratégia regional para o Turismo, o Secretário Regional ressalvou a necessidade das entidades nacionais reforçarem o seu apoio na promoção dos Açores e, dessa forma, potenciar o contributo do arquipélago para a oferta do turismo nacional.

“Nós temos a perfeita consciência do contributo que podemos dar no contexto de oferta turística do país, quer na sua diversidade, quer na sua qualificação. Assim seja também a visão das entidades nacionais”, afirmou Vítor Fraga, lembrando que não podem repetir-se os erros do passado recente na estratégia de turismo nacional.

“É tempo de as entidades nacionais perceberem que a valorização dos aspetos diferenciadores de cada região é fundamental para a consolidação e crescimento do setor. É tempo do Turismo de Portugal rever os critérios de apoio à promoção das Regiões”, frisou.

Vítor Fraga especificou que “no caso dos Açores, esse apoio cifra-se em 2,5% do investimento que a Região faz em promoção”, tornando-se “necessário introduzir, para além dos fatores quantitativos que têm marcado a definição desses apoios, também valores qualitativos”.

Para o Secretário Regional, “é tempo de olharmos para o turismo além do show-off das estatísticas. O turismo é feito por pessoas e para pessoas. E as pessoas são muito mais do que um número”.

Vítor Fraga assegurou que os Açores estão sempre disponíveis para colaborar no contexto da oferta turística nacional, “estejam assim também as entidades públicas nacionais disponíveis para acolher o nosso contributo e perceber que os Açores podem ser efetivamente uma mais-valia no contexto da oferta turística”.

Nesse sentido, manifestou o desejo de que, no futuro, “se olhe para o turismo não como um setor que proporciona bons momentos de comunicação, bons momentos de campanha política, mas que se olhe para o turismo como uma indústria capaz de gerar riqueza, de manter, de preservar, de criar postos de trabalho”.
GaCS/HB

Turismo e Transportes tem Plano para 2015 com reforço de verbas de 23%

O Plano e o Orçamento para 2015 contemplam 191 milhões de euros para as áreas tuteladas pela Secretaria Regional do Turismo e Transportes, representando “um crescimento de cerca de 23%”, afirmou Vítor Fraga, salientando que os documentos refletem um trabalho “desenvolvido em conjunto com os parceiros sociais e com os açorianos” para responder aos principais desafios que se colocam aos Açores nos dois setores.

O Secretário Regional, em declarações aos jornalistas após ser ouvido pela Comissão de Economia da Assembleia Legislativa, salientou que, ao nível dos Transportes, o Plano está assente no Plano Integrado de Transportes (PIT), “nos seus três eixos (infraestruturas, quadro regulamentar e medidas facilitadoras), no sentido de prestar um melhor serviço, de qualidade e excelência, que vá ao encontro daquilo que é a ideia-chave de todo o PIT, que é a excelência operacional”.

No que se refere ao Turismo, Vítor Fraga frisou que o Plano “reflete uma estratégia clara de consolidação de todo o trabalho que tem vindo a ser feito ao longo dos anos, na consolidação da nossa presença junto dos principais mercados emissores e numa estratégia igualmente clara de comunicação direta com o cliente final, na perspetiva de criar pressão junto da procura para que haja um incremento de fluxos turísticos para a Região”.

Nesse sentido, adiantou que foi lançada segunda-feira uma campanha “quase sem precedentes, pela transportadora aérea regional, com oferta de cerca de 20 mil lugares a 88 euros, nas ligações de e para o continente português, com venda durante o mês de novembro e viagens a concretizar até ao final do mês de março, na perspetiva também de dar aqui um contributo importante não só para a mobilidade dos Açorianos, mas também para a captação de fluxos turísticos na época baixa, contribuindo assim para atenuar um dos fatores com que o destino se confronta, que é a sazonalidade”.

Para Vítor Fraga, o turismo “terá um papel muito significativo, não só na criação de postos de trabalho, de uma forma direta, mas também como uma força indutora do desenvolvimento de outros setores de atividade que naturalmente beneficiarão do crescimento que advirá do setor do turismo”.

O Secretário Regional ressalvou que o Plano foi desenvolvido em franca parceria com todos os parceiros sociais, tendo sempre presente que “a partir do próximo ano teremos um novo modelo de acessibilidades à Região, novas Obrigações de Serviço Público (OSP) para o transporte aéreo interilhas, novas OSP para o transporte marítimo interilhas”, tendo em vista aumentar a mobilidade dos Açorianos e facilitar a acessibilidade à Região.
GaCS/HB

Nova realidade no transporte aéreo trará novas oportunidades para o Turismo nos Açores

O Secretário Regional do Turismo e Transportes afirmou hoje que o desenvolvimento do Turismo está dependente de “medidas e políticas” que permitam a sustentabilidade desta atividade e, por essa via, a “sustentabilidade das empresas direta ou indiretamente relacionadas”.

“No âmbito destas medidas está, como não podia deixar de ser, o transporte aéreo, como pilar fundamental e insubstituível da acessibilidade a qualquer destino e, por maioria de razão, aos Açores, enquanto região insular”, salientou Vítor Fraga, numa intervenção no encerramento do Fórum Turismo 2014, promovido pela Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada.

Na sua intervenção, Vítor Fraga recordou o processo de revisão das Obrigações de Serviço Público do Transporte Aéreo e a sua previsível entrada em vigor no início do próximo verão IATA.

“O Governo dos Açores aguarda com expetativa esse momento porque sabemos que ele trará, garantidamente, novas oportunidades ao nível da captação de novos segmentos de mercado que, como esperamos, podem dar um significativo contributo para o incremento de fluxos turísticos na nossa Região”, afirmou.

Vítor Fraga salientou, por outro lado, que este modelo trará “grandes desafios ao Grupo SATA”, mas garantiu que o Executivo regional “está, agora que foi alcançado o acordo com a República, totalmente disponível para, como acionista e dentro das regras deste novo modelo, apoiar a companhia, que tem ainda um importante papel a desempenhar no processo de desenvolvimento e de progresso da nossa Região”.

Para Vítor Fraga, se a questão do transporte aéreo é “central para o desenvolvimento do Turismo dos Açores”, é também preciso que todos, entidades públicas e privadas, tenham a consciência de que os desafios deste setor não se esgotam nesta matéria.

“A qualificação e valorização da nossa oferta, criando fatores diferenciadores, onde a singularidade de cada uma das nossas nove ilhas esteja sempre presente, na perspetiva de nos afirmarmos como um destino único, distante da comparação direta com tantos outros destinos, é essencial”, defendeu o Secretário Regional.

“Temos de saber vender, cada vez melhor, os Açores nos mercados emissores, mas também dentro de portas, através da consolidação de um critério do qual nunca nos poderemos desviar um milímetro que seja: a qualidade”, acrescentou.

Para Vítor Fraga, “é este critério, associado a uma capacidade permanente de perceber a evolução das tendências da procura, que faz verdadeiramente a diferença nos destinos turísticos que conseguiram vingar, ainda mais quando nos temos de balizar pelos parâmetros e qualidade europeus, dos mais exigentes do mundo”.

O Secretário Regional considerou que existe “uma grande margem de progressão ao nível da qualidade dos serviços prestados” a quem visita os Açores, salientando que esta é uma área que deve merecer atenção e esforços permanentes, nomeadamente na qualidade no atendimento ao nível dos diversos serviços, quer estejam direta ou indiretamente ligados ao setor.

Nesse sentido, frisou que receber bem é “sinónimo de desenvolvimento económico, de geração de riqueza, ou seja, de preservação e criação postos de trabalho”.

Para 2015, o Governo dos Açores reserva cerca de 22,6 milhões de euros para a promoção e desenvolvimento do Destino Açores, sendo as principais prioridades o aumento da notoriedade do destino, junto dos principais mercados emissores, associado diretamente à captação de fluxos turísticos, bem como a prossecução da aposta continuada na diversificação e qualificação da oferta.
GaCS/HB

Regiões europeias aprovam propostas de Vasco Cordeiro para potenciar criação de emprego no Turismo Costeiro e Marítimo

O Comité das Regiões aprovou hoje, por expressiva maioria, o parecer da responsabilidade do Presidente do Governo dos Açores sobre a Estratégia Europeia para o Turismo Costeiro e Marítimo, que propõe à Comissão Europeia uma série de ações e medidas que potenciem a criação de emprego e riqueza nesta área do setor turístico nas regiões.

O parecer apresentado por Vasco Cordeiro sobre a Comunicação ‘Uma Estratégia Europeia em Prol do Crescimento e do Emprego no Setor do Turismo Costeiro e Marítimo’ foi aprovado, em Bruxelas, com apenas um voto contra e uma abstenção, na sessão plenária do Comité das Regiões, órgão composto por representantes regionais e locais dos 28 Estados-Membros da União Europeia.

O Presidente do Governo foi nomeado responsável pela elaboração deste parecer sobre a Comunicação da Comissão Europeia relativa a esta matéria, lançada em fevereiro de 2014, e que se integra no âmbito da Política Marítima Integrada e no objetivo da União de potenciar o chamado ‘crescimento azul’.

Vasco Cordeiro, em declarações aos jornalistas, salientou que, quer a Comunicação da Comissão Europeia, quer o Parecer hoje aprovado, são “componentes importantes que concretizam a atenção específica das instituições comunitárias em relação à importância do turismo costeiro e marítimo para o crescimento económico e para criação de emprego nas várias regiões da Europa”.

“Este parecer vem reforçar alguns aspetos que devem ter destaque na abordagem da Comissão Europeia, como é o caso do papel que os poderes regionais e locais devem ter na concretização desta estratégia”, salientou o Presidente do Governo.

Com a adoção deste parecer, o Comité das Regiões – órgão de consulta da Comissão, do Parlamento e do Conselho Europeu – recomenda às instituições europeias diversas ações e medidas para que os Estados, as Regiões e as empresas possam reforçar a posição do setor turísitico como motor da ‘economia azul’, reconhecendo o facto de esta ser a primeira estratégia europeia para o turismo costeiro e marítimo apresentada pela Comissão.

Nesse sentido, o parecer agora aprovado destaca o papel particular das ilhas no quadro desta estratégia dirigida a um setor que é responsável por cerca 3,2 milhões de empregos na Europa, em particular no que respeita às acessibilidades, custos de transporte, sazonalidade e conectividade, assim como o impacto que estas realidades têm no turismo e na economia das regiões costeiras e marítimas.

Segundo Vasco Cordeiro, a Comissão Europeia deve “promover, assim, programas de formação profissional, em particular para os jovens das regiões costeiras e marítimas, que permitam o intercâmbio de boas práticas e a formação avançada dos mesmos, os quais devem ser desenvolvidos na época baixa”.

Além disso, o parecer defende que as regiões costeiras e marítimas europeias devem apostar na implementação de estratégias de especialização dos seus “produtos de turismo” que acrescentem valor, contribuam para o regresso mais frequente de turistas e combate à sazonalidade, bem como para o incremento da criação de postos de trabalho mais qualificados e melhor remunerados.

O parecer aprovado em Bruxelas salienta, por outro lado, que o desenvolvimento destas medidas requer o financiamento adequado no âmbito do novo quadro financeiro, assim como o respeito pleno pelo princípio da subsidiariedade, o que implica a cooperação das instituições da União Europeia com os diversos Estados-Membros, as regiões e as partes interessadas.

Neste quadro, destaca a situação específica das regiões insulares e ultraperiféricas, que, devido às limitações do território existente e à sobreposição das atividades económicas nas zonas costeiras, requerem uma maior assistência dos fundos da União Europeia para prevenir riscos que podem ser prejudiciais às atividades económicas.

O Comité das Região defende também uma atenção particular da Comissão no que respeita às acessibilidades e conetividade das regiões insulares e ultraperiféricas e outras localizações remotas altamente dependentes do transporte aéreo, ferry ou barco, não apenas para o turismo, mas também para as demais atividades económicas.

Tal como a Conferência das Regiões Periféricas Marítimas da Europa, presidida por Vasco Cordeiro, o parecer preconiza a criação de uma Federação dos Gabinetes e Agências de Turismo das Regiões Costeiras e Marítimas, que funcione como plataforma para a cooperação e o intercâmbio entre os organismos profissionais das regiões costeiras e marítimas.

A Região Autónoma dos Açores tem assento no Comité das Regiões desde a sua criação, estando presentemente representada, pelo Presidente do Governo Regional, na Comissão de Recursos Naturais e na Comissão de Ambiente, Alterações Climáticas e Energia.

O Comité das Regiões tem o objetivo de envolver as autoridades regionais e locais de todos os Estados-Membros no processo decisório da União Europeia.

A Comissão Europeia, o Parlamento Europeu e o Conselho são obrigados a consultar o Comité em domínios políticos que afetam as regiões.
GaCS/PC

Promoção e desenvolvimento do Turismo com reforço de mais de 18% em 2015

O Secretário Regional do Turismo e Transportes destacou hoje que a promoção e desenvolvimento do Turismo terão, no âmbito do Plano e Orçamento para 2015, recentemente apresentado aos parceiros sociais, um reforço de verba de mais de 18%.

Vítor Fraga, na intervenção que proferiu na entrega de prémios do Azores Ladies Open, no Campo de Golfe da Batalha, salientou que este reforço é justificado, já que “o turismo afirma-se cada vez mais, na Região, como um dos principais pilares de desenvolvimento, ele próprio indutor de desenvolvimento de outros setores”.

O Secretário Regional frisou ainda que o Turismo dos Açores irá direcionar toda a atuação “numa aposta concreta de comunicação com o cliente final, quer de uma forma direta, privilegiando naturalmente os canais ao nível do digital, quer de uma forma indireta, através de ‘press trips’ e ‘fam trips’”.

“Iremos igualmente direcionar os nossos esforços para a consolidação de eventos-âncora, que estejam alinhados com a matriz do destino, associados a produtos turísticos diferenciadores e que nos garantam retorno, não só ao nível da captação de fluxos, associados diretamente aos mesmos, mas também associados a níveis de aumento de notoriedade”, sublinhou o titular da pasta do Turismo.

Vítor Fraga frisou que os Açores querem percorrer “um caminho de consolidação de um setor que todos acreditamos que pode ser determinante para o futuro da Região”.

Para Vítor Fraga, a realização da quarta edição do Azores Ladies Open “é bem mostra daquilo que tem sido a determinação do Governo dos Açores no que diz respeito ao apoio a este tipo de eventos”, já que o Executivo entende que a consolidação deste tipo de eventos “é fundamental para obtermos o devido retorno, quer ao nível de ganhos de notoriedade fora da Região, quer ao nível da captação de fluxos turísticos para a Região”.

“Um dos nossos grandes objetivos é colocar a Região, através dos circuitos de grandes eventos desportivos, no top da notoriedade, no que a alguns produtos turísticos diz respeito e onde o golfe se enquadra”, afirmou o Secretário Regional.
GaCS/HB

Governo dos Açores reforça apoio ao Turismo em Espaço Rural

O Secretário Regional do Turismo e Transportes anunciou hoje, na Terceira, que o Governo dos Açores vai reforçar o apoio aos empresários que investem no Turismo em Espaço Rural.

Vítor Fraga, que falava aos jornalistas à margem de uma visita à Quinta do Martelo, para assinalar o Dia Mundial do Turismo, revelou que, ao abrigo do novo Quadro Comunitário de Apoio e do Sistema de Incentivos Competir+, nomeadamente o Subsistema de Incentivos para o Fomento da Base Económica de Exportação, será reforçado este apoio, “permitindo que a componente de apoio financeiro possa variar entre 55 e 65%, e isto é fundamental, numa perspetiva de que o Turismo em Espaço Rural contribui de uma forma determinante” para a qualificação da oferta turística dos Açores.

O titular da pasta do Turismo frisou que os Açores são “um caso de sucesso único no país, ao nível do desenvolvimento do Turismo em Espaço Rural”, salientando que cerca de 10% das camas disponíveis estão nas unidades de alojamento deste tipo.

“Não nos podemos esquecer que o Turismo em Espaço Rural se caracteriza pela recuperação do nosso património, por uma ligação muito direta àquilo que é a nossa cultura, as nossas tradições e, dado o seu enquadramento e a sua envolvência, é aquele que potencia uma maior relação entre aqueles que nos visitam e as nossas gentes, a nossa comunidade local”, afirmou Vítor Fraga.

“É isto que temos de potenciar, no sentido de contribuir de uma forma cada vez mais ativa para o desenvolvimento das economias locais, potenciando assim o crescimento e tirando partido de um dos setores que consideramos estruturante para o desenvolvimento da Região”, acrescentou.

Para o Secretário Regional do Turismo e Transportes, este tem sido um caminho percorrido, em conjunto, pelos empresários açorianos, com o apoio natural do Governo dos Açores, salientando que ainda há “um grande potencial para desenvolver”.
GaCS/HB

Governo estabelece período de carência de reembolso de incentivos ao Turismo para apoiar iniciativa privada

O Governo dos Açores estabeleceu um novo período de carência, até 31 de dezembro de 2016, para o reembolso dos incentivos relativos a investimentos em estabelecimentos hoteleiros e em unidades em espaço rural concedidos ao abrigo do Sistema de Incentivos ao Turismo, uma medida destinada a apoiar a iniciativa privada.

Esta decisão, tomada no Conselho do Governo que se reuniu nas Flores no âmbito da visita estatutária a esta ilha, abrange as prestações devidas a partir de 1 de dezembro de 2013 e resulta da atual situação económica e financeira nacional e internacional, que continua a ter reflexos negativos na atividade turística regional, adiantou a Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares.

Segundo Isabel Rodrigues, por essa razão, o Governo dos Açores entendeu ser necessária uma intervenção para amenizar as dificuldades que ainda atingem a iniciativa privada e, simultaneamente, contribuir para a sustentabilidade das empresas e a manutenção dos postos de trabalho.

Além disso, o Governo dos Açores decidiu conceder um incentivo financeiro, no âmbito do Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento Local, do Sistema de Incentivos para o Desenvolvimento Regional dos Açores (SIDER), a um projeto de investimento para a construção de uma unidade fabril de enchimento de sumos e refrigerantes, na ilha de São Miguel.

De acordo com Isabel Rodrigues, o investimento total deste projeto ascende a cerca de 4,9 milhões de euros, sendo o incentivo a conceder de cerca de 941 mil euros sob a forma de subsídio não reembolsável e cerca de 1,2 milhões de euros como empréstimo reembolsável

Na reunião que decorreu na terça-feira, o Executivo Açoriano deliberou, por outro lado, celebrar com a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo um contrato de cooperação financeira direta, no valor de cerca de 90 mil euros, destinado à remodelação da sede da Junta de Freguesia de S. Pedro.

“Este apoio integra-se no quadro das políticas de cooperação técnica e financeira do Governo com os municípios Açorianos, tendo em vista a melhoria da qualidade dos serviços prestados à população no âmbito das autarquias locais”, adiantou a Secretária Regional Adjunta da Presidência para os Assuntos Parlamentares.

Foi ainda decidido apoiar, através de um contrato de cooperação – valor investimento, o Centro Social e Paroquial das Cinco Ribeiras, no concelho de Angra do Heroísmo, no valor máximo de 1,9 milhões de euros, destinados à realização de obras de requalificação e ampliação do edifício para a instalação de um lar residencial para idosos e respetivo equipamento.

A medida resulta da necessidade de continuar a apoiar o desenvolvimento de atividades de apoio social, através da criação e requalificação de equipamentos que se constituam como respostas de qualidade para apoio a pessoas idosos, adiantou Isabel Rodrigues.

GaCS/PC

Setor do turismo atravessa novo estágio de desenvolvimento

O Secretário Regional do Turismo e Transportes afirmou hoje, em S. Miguel, que o turismo nos Açores está a atravessar uma nova fase na sua evolução, sendo agora prioridade assegurar a singularidade e maturação do Destino Açores.

“Passamos de um tempo em que havia necessidade de ter oferta, para um tempo em que necessitamos de garantir a existência e manutenção de uma oferta fortemente qualificada, que evidencie os nossos fatores diferenciadores, totalmente integrada na matriz do Destino e capaz de gerar e agregar valor”, afirmou Vítor Fraga.

O titular da pasta do Turismo falava na cerimónia de lançamento da primeira pedra do empreendimento turístico Whales Bay Azores Islands, na freguesia de São Vicente Ferreira, no concelho de Ponta Delgada, um projeto que reúne capital regional e externo, num investimento superior a dois milhões de euros que pretende juntar o conforto de um empreendimento de quatro estrelas enquadrado na paisagem com caraterísticas viradas para o turismo de lazer.

Para Vítor Fraga, este tipo de empreendimento é um exemplo da qualidade que a Região pretende nesta área, mas também uma prova do interesse “que o setor está a gerar junto dos empresários”, demonstrando o caminho de sucesso percorrido pelos Açores na valorização do seu destino.

“Temos vindo a potenciar o que de mais valioso e diferenciador temos, como o nosso património natural e edificado ou a nossa cultura, preservando-os e potenciando-os de uma forma responsável e sustentável, como os inúmeros prémios internacionais que temos recebido assim reconhecem”, frisou.

Na sua intervenção, o Secretário Regional recordou que a construção de um destino turístico é um processo moroso e, mais ainda, se a ambição for mantê-lo sustentável.

“Os exemplos que recolhemos por este mundo fora dão bem nota dos resultados de quem opta por crescimentos rápidos: esses resultados acabam, quase sempre, por ser inevitavelmente efémeros e descaracterizadores do destino”, afirmou Vítor Fraga, assegurando que “esta nunca foi, não é, nem será a opção para o desenvolvimento do setor na Região”.

O Secretário Regional salientou ainda que o caminho percorrido e ainda mais no “novo tempo” que o turismo regional enfrenta agora, requer a continuidade de uma cooperação efetiva e permanente entre entidades públicas e privadas.

“Das entidades públicas devemos exigir a garantia da preservação da nossa matriz, a determinação na construção de todos os instrumentos para apoiar e regular o desenvolvimento do setor, que se quer continue a ser sustentável”, salientou, acrescentando que se espera das entidades privadas que “tirem partido dos novos instrumentos que têm à sua disposição e que direcionem a sua atuação para a qualificação e valorização da oferta”.

O Secretário Regional apelou ainda aos empresários do setor para que incorporem a tecnologia na sua atividade, dando assim resposta às novas tendências da procura, e para que apostem fortemente na promoção dos seus fatores diferenciadores como geradores e agregadores de valor.

“Assim, contribuiremos todos para a sustentabilidade de um setor que se quer gerador de riqueza e capaz de preservar e contribuir para a criação de mais postos de trabalho”, afirmou Vítor Fraga.

Destino Açores nomeado para prémio internacional de inovação e turismo sustentável

O arquipélago dos Açores, enquanto destino premiado Quality Coast, foi nomeado para o prémio VISTAS 2014 – Vision Innovation for Sustainable Tourism Awards, cujos vencedores serão conhecidos a 6 de março, numa cerimónia que vai decorrer na IBT – Bolsa Internacional de Berlim.

O VISTAS pretende destacar a excelência do trabalho desenvolvido por parte dos destinos distinguidos em prol do turismo sustentável e de uma forma inovadora e efetiva.

A nomeação foi proposta pelo programa Quality Coast, desenvolvido pelo Coastal and Marine Union (EUCC), entidade constituída por cerca de 2.700 membros de mais de 40 países, que reúne especialistas de várias áreas científicas para promover o desenvolvimento sustentável em destinos costeiros, através de uma estratégia de informação dirigida aos visitantes.

O programa Quality Coast pretende ainda estabelecer uma rede mundial de comunidades costeiras que partilhem os mesmos valores e práticas de desenvolvimento sustentável.

Os Açores venceram o Quality Cost Gold Award 2013, prémio internacional que distingue a qualidade ambiental costeira para um turismo sustentável, após a obtenção, pelo quarto consecutivo, da melhor classificação, obtida entre 100 destinos selecionados.

Com esta distinção, os Açores viram reconhecido o trabalho que têm vindo a desenvolver pelas boas práticas de sustentabilidade, agora reforçado com a nomeação ao Prémio VISTAS.

As boas práticas dos Açores que permitiram a nomeação estão descritas na página da Internet com o endereço eletrónico http://www.qualitycoast.info/?page_id=1611, tendo o site TravelMole, entidade parceira do VISTAS, publicado um resumo sobre cada um dos destinos nomeados.

A Região vai estar representada na IBT 2014, um dos maiores eventos de turismo do mundo, através da Associação Turismo dos Açores.

GaCS/SRTT/SRRN

Governo Regional reforça montante para apoiar eventos de animação turística e promoção do Destino Açores

O Governo dos Açores decidiu reforçar este ano, no âmbito do Decreto Legislativo Regional 18/2005/A, o montante global disponível para apoio à realização de eventos e ações de animação turística e promoção do destino Açores, promovidos por coletividades, associações e promotores em nome individual, estabelecendo uma verba de cerca de 1,2 milhões de euros.

O Secretário Regional do Turismo e Transportes frisou que esta verba, que representa um reforço superior a 5% em relação ao ano passado, se destina a “incentivar e potenciar a realização de ações de animação e promoção turística da Região, de forma direta ou indireta, em especial nas épocas média e baixa, através de iniciativas que demonstrem relevante interesse público, de modo a contribuir ativamente para a qualificação da oferta e captação de fluxos turísticos”.

Vítor Fraga, que falava na Horta, na apresentação do 1.º Azores Trail Run, que terá lugar no Faial a 24 de maio, Dia Europeu dos Parques Naturais, recordou que o Parque Natural do Faial foi distinguido pela Comissão Europeia como destino EDEN (European Destinations of Excellence).

Para o Secretário Regional, este importante galardão “muito nos honra e, mais importante do que isso, motiva-nos ainda mais para trabalhar com vista a consolidar a nossa imagem de destino turístico de excelência, que alia o desenvolvimento do turismo ao respeito profundo pelo ambiente, numa oferta sustentável”.

“O desenvolvimento do turismo nos Açores é um dos principais objetivos definidos no Programa do XI Governo Regional dos Açores”, recordou Vítor Fraga, acrescentando que o Executivo pretende “continuar a trabalhar, com vista a concretizá-lo dia após dia, em conjunto com todos os parceiros do setor”.

Para o titular da pasta do Turismo, os Açores têm desenvolvido ao longo dos anos “uma estratégia de promoção consistente junto dos principais mercados emissores”, que se caracteriza por ter “foco no essencial, direcionando todo o esforço de promoção para os segmentos de mercado que têm apetência por um destino com uma oferta turística tão rica e diversificada como a que possuímos”.

Vítor Fraga considerou que “são animadores” os últimos indicadores conhecidos, que se referem ao ano de 2013, salientando que demonstram que “o comportamento do setor no último ano é o reflexo de todo o trabalho desenvolvido, dando-nos indicações claras de que estamos no bom caminho”.

“Um caminho que queremos continuar a percorrer com vista a contribuir ativamente para garantir a sustentabilidade do setor”, afirmou.

O Secretário Regional alertou, no entanto, para o facto de o desenvolvimento do setor do turismo não ser “tarefa de uma entidade isolada”, mas sim “fruto do trabalho conjunto, entre todos os parceiros deste setor”, considerando fundamental ter “sempre presentes os objetivos a que nos propomos e qual o caminho que queremos percorrer”.

“O Governo dos Açores continuará, assim, a desenvolver políticas que visam este objetivo, criando um ambiente propício para que o setor gere confiança junto de todas as entidades que trabalham o destino”, afirmou Vítor Fraga.

“Turismo fecha ano com mais 10,4% de dormidas”

“Turismo fecha ano com mais 10,4% de dormidas”.image

Turismo cresceu 15% nos Açores em Novembro

Na Região Autónoma dos Açores, no mês de novembro, os estabelecimentos hoteleiros registaram 40,1 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 15,0%.
Os proveitos totais atingiram 1,7 milhões de euros e os de aposento 1,1 milhões, correspondendo a variações homólogas, respetivamente de, 4,1% e 6,4%.
Capturar

Vítor Fraga anuncia lançamento de “semanas temáticas” no turismo açoriano

O Secretário Regional do Turismo e Transportes anunciou hoje, em Angra do Heroísmo, o lançamento, em 2014, de “semanas temáticas” associadas ao Destino Açores.

Vítor Fraga, na intervenção que proferiu no encerramento do XXXIX Congresso da Associação Nacional de Agentes de Viagens e Turismo (APAVT), frisou que nestas “semanas temáticas” destinadas ao mercado nacional “serão disponibilizadas tarifas aéreas específicas, transporte gratuito de equipamento desportivo e serviços especializados, associados a cada atividade”.

“De 15 a 23 de fevereiro, teremos o Surf Week Açores, de 8 a 16 de março, o Golf Week Açores e, de 22 a 30 de março, o Walk Week Açores”, revelou o Secretário Regional, acrescentando que “cada uma destas semanas terá associada uma campanha de comunicação, quer ao nível da imprensa e sites especializados, quer junto de escolas e/ou clubes afetos a cada atividade”.

O titular da pasta do Turismo no Governo dos Açores, dirigindo-se aos agentes de viagens presentes no Congresso da APAVT, afirmou contar com todos para, “à semelhança do que temos vindo a fazer noutras frentes, promover e potenciar esta nova oportunidade, que naturalmente terá continuidade noutros períodos do ano, associada aos mais diversos produtos constantes da nossa oferta”.

Vítor Fraga revelou ainda aos congressistas que os Açores serão o Destino Nacional Convidado na edição de 2014 da Bolsa de Turismo de Lisboa, que vai decorrer entre 12 e 16 de março.

”Será o momento de comunicarmos para o mercado nacional aquilo que verdadeira e genuinamente somos e temos para oferecer”, salientou, destacando os Açores como “um Destino assente na matriz de Natureza, com uma política de preservação ambiental muito bem definida, ideal para as famílias e para aqueles que procuram férias ativas”, mas também “um Destino capaz de proporcionar experiências únicas, de refletir boas emoções, enfim, de possibilitar àqueles que nos visitam momentos inesquecíveis, que despertem uma vontade permanente de regressar”.

Vítor Fraga referiu ainda a implementação, em 2014, do Plano Integrado de Transportes, frisando que, “a par de uma coordenação ao nível de horários, permitindo assegurar a conectividade, dentro do fisicamente possível e de acordo com os padrões definidos pela indústria, no interior da Região, será igualmente associado e desenvolvido um sistema de logística que permitirá a integração do despacho de bagagem entre o transporte aéreo e marítimo, garantindo que qualquer utilizador possa levantar a sua bagagem no destino final, aquando de uma deslocação intermodal”.

GaCS/HB

Orçamento do Turismo para 2014 supera os 25 milhões de euros, revelou Vítor Fraga

O Secretário Regional do Turismo e Transportes revelou que o orçamento do setor do turismo para 2014 “supera os 25 milhões de euros”, frisando que se trata de uma “aposta determinada” do Governo dos Açores para que este setor “continue a contribuir ativamente para o desenvolvimento da Região”.

Vítor Fraga, que falava sábado à noite, no encerramento do Expresso BPI Golf Cup, frisou que a promoção e a qualificação da oferta são dois dos vetores fundamentais para ter “um desenvolvimento sustentado para este setor”, acrescentando que “estão claramente definidos no Plano e Orçamento do Governo dos Açores para o ano de 2014”.

O Secretário Regional lembrou que os Açores “têm-se assumido como um destino de qualidade”, sendo aí, “num patamar elevado, num patamar que nos diferencie, que nós queremos estar”, fruto de um trabalho de parceria que “é efetuado diariamente entre público e privado”.

“Desenvolver um caminho em conjunto é sempre meio caminho andado para atingirmos o sucesso”, frisou.

Vítor Fraga afirmou ainda a intenção de “continuar igualmente a procurar a angariação de novos eventos”, já que este ”é um trabalho que não se esgota”.

Nesse sentido, recordou que, no início de dezembro, os Açores irão acolher o congresso nacional da APAVT, um grande evento, onde estarão “mais de 500 congressistas”.

“Mais uma oportunidade que nós temos para fazermos bem aquilo que tão bem sabemos fazer e utilizarmos estes meios para ganharmos notoriedade e ganharmos adeptos dos Açores, que nos ajudem nesta caminhada que todos nós sabemos que não é fácil, mas que também sabemos que, com o esforço, a garra e a dedicação que temos tido, vamos conseguir atingir bons resultados”, afirmou o Secretário Regional.

Por outro lado, lembrou Vítor Fraga, em 2014, os Açores serão “destino preferido da Federação Europeia das Agências de Viagens (ECTAA), mais um momento importante para nos afirmarmos no contexto internacional” .

“Nós, aqui nos Açores, temos uma via açoriana que conta com todos, que não deixa ninguém para trás”, afirmou.

Por isso, disse, “contamos convosco para que regressem aos Açores, para que nos visitem e desfrutem daquilo que de melhor nós temos para oferecer”.

GaCS/HB

Consolidação do turismo é prioridade para 2014, diz Vítor Fraga

O Secretário Regional do Turismo e Transportes frisou hoje, na Horta, que os objetivos do Governo dos Açores para 2014 passam por “consolidar” a presença ao nível da promoção, junto dos principais mercados emissores.

“Consolidar de uma forma muito clara e objetiva a promoção nos Estados Unidos, com o objetivo claro de termos uma captação de fluxos maior do que aquela que temos tido, no seguimento de todo o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido, nomeadamente com a introdução de um maior número de rotações”, afirmou Vítor Fraga, em declarações aos jornalistas depois de ter sido ouvido pela Comissão de Economia da Assembleia Legislativa dos Açores.

“Teremos, durante a época alta, uma ligação diária a Boston e seis por semana a Toronto, com um tarifário novo, mais adequado, mais adaptado às efetivas necessidades de todos aqueles que utilizam o transporte aéreo para nos vir visitar”, acrescentou.

O Secretário Regional salientou ainda que serão definidas obrigações de serviço público para o transporte marítimo de passageiros e carga rodada e que “irá ser feito também um trabalho de revisão das atuais obrigações de serviço público do transporte aéreo inter-ilhas, tentando com isto baixar o custo e tornar o serviço mais eficiente”.

Relativamente às obrigações de serviço público de transporte aéreo para o exterior da Região, Vítor Fraga frisou que “a situação é aquela que todos conhecemos”, recordando que “há uma proposta do Governo dos Açores, que garante um preço único para todos os açorianos que queiram sair da Região, que aguarda um desfecho junto do Governo da República”.

O Secretário Regional referiu ainda que, como foi recentemente anunciado, foi criado um grupo de trabalho “que inclui um membro do Governo dos Açores e que irá produzir um relatório até ao final do mês de novembro”.

“A decisão política será tomada, de acordo com o compromisso que o Ministro da Economia assumiu para comigo, até ao final do ano”, afirmou.

Vítor Fraga salientou, por outro lado, que, tal como foi anunciado, o Governo dos Açores irá implementar o Plano Integrado de Transportes com o objetivo de “haver uma interligação entre transportes aéreos, marítimos e terrestres, com efetivos ganhos de eficiência ao nível do transporte global, possibilitando também a todos os cidadãos açorianos e a todos os que nos visitam uma maior capacidade ao nível da sua mobilidade”.

GaCS/HB

Vítor Fraga anuncia promoção das festas açorianas pelo Turismo dos Açores

O Secretário Regional do Turismo e Transportes anunciou que o Turismo dos Açores vai desenvolver até ao final de setembro, junto das entidades promotoras de eventos na Região, um trabalho de calendarização de todas as iniciativas previstas para 2014, com o objetivo de as promover nos operadores turísticos dos principais mercados emissores.

“Esta mais-valia que temos a nível cultural e musical, como é o caso da Maré de Agosto, deve ser utilizada para promover os Açores junto dos principais mercados emissores, colocando à disposição dos operadores que trabalham o nosso destino turístico este produto, que irá contribuir ativamente para a valorização da oferta turística da Região e para a captação de fluxos turísticos para a Região”, afirmou Vítor Fraga, que falava quarta-feira à noite na cerimónia de abertura da 29.ª edição do Festival Maré de Agosto, em Santa Maria.

Para Vítor Fraga, “este é, sem dúvida, um tempo em que temos de nos esforçar no que é essencial”, sendo que “a valorização e a qualificação da oferta turística da Região é algo que é fundamental para o desenvolvimento turístico da Região”.

“É com eventos como este e como outros que temos por todas as ilhas, que estamos em condições de ter uma oferta turística com mais valor, capaz de continuar a atrair os turistas para as nossas ilhas”, disse Vítor Fraga, alertando para a necessidade de “potenciar” aquilo que os Açores têm de bom.

Nesse sentido, considerou que “a qualificação, a valorização da nossa oferta turística é fundamental”.

O Festival Maré de Agosto, segundo o Secretário Regional, “tem-se inserido neste espírito, não só numa perspetiva de dinamização do turismo interno, que é uma realidade conhecida de todos, mas também na captação de fluxos turísticos de fora da Região”, manifestando a convicção de que ainda existe “um potencial muito grande ainda para explorar”.

Para Vítor Fraga, a Maré de Agosto “transformou-se efetivamente num cartaz turístico dos Açores”, ao qual “ao longo dos anos, o Governo dos Açores tem vindo a associar-se” e “certamente irá fazê-lo já na próxima edição, na trigésima, que desejamos que seja uma edição memorável”, concluiu.

GaCS/HB

Silêncio do Governo da República sobre Obrigações de Serviço Público “não pode trazer boa coisa”, diz Vítor Fraga

O Secretário Regional do Turismo e Transportes lembrou que, até hoje, o Governo da República ainda não deu seguimento à proposta de revisão das Obrigações de Serviço Público de Transportes Aéreos, considerando ser necessário “estar atentos, porque aquilo que tem vindo do Governo da República não tem sido bom para os Açorianos”.

Vítor Fraga, que proferiu uma intervenção sobre ‘Desenvolvimento e Sustentabilidade: Desafios do presente para assegurar o futuro’, no almoço do Rotary Club de Ponta Delgada, afirmou esperar que “este compasso de espera que se está a fazer” não seja “para se encontrar uma solução que seja má para os Açores e para os Açorianos”.

O Secretário Regional reafirmou que a definição das Obrigações de Serviço Público “é uma competência do Governo da República”, assegurando, no entanto, que “na defesa desses interesses dos Açores e dos Açorianos, vamo-nos bater até ao fim”, para evitar que “se tomem medidas e decisões que prejudiquem os Açores e os Açorianos”.

Para Vítor Fraga, o Governo dos Açores apresentou uma proposta que acredita ser a melhor, que satisfaz a necessidade de garantir a acessibilidade dos Açorianos e de assegurar um setor competitivo que permita captar fluxos para a Região.

Nesta intervenção, o Secretário Regional abordou ainda o setor do Turismo e anunciou que, até ao início de outubro, o Governo dos Açores irá “desenvolver um programa direcionado para a hotelaria e para a restauração, com vista a implementar medidas de eficiência energética e assim contribuir ativamente para a redução do consumo e do custo que a energia tem nestas unidades”.

Esta será uma medida a juntar aos mecanismos de apoio já criados e destinados às empresas que operam localmente.

Vítor Fraga lembrou a recente redução em 50 por cento no valor das taxas dos operadores marítimo-turísticos e o programa de apoio à aquisição de produtos regionais, destinado à hotelaria e à restauração, como exemplos do “conjunto de medidas” que foram tomadas ao longo dos últimos meses “para ajudar e servir de facilitadores no desenvolvimento da atividade”.

GaCS/HB

Governo dos Açores melhora condições de segurança no acesso à Ribeira Quente

O Governo dos Açores, através da Secretaria Regional do Turismo e Transportes, está a desenvolver uma intervenção de estabilização de taludes na estrada regional de acesso à Ribeira Quente, em São Miguel, com vista a dotar esta via de maiores condições de segurança para quem a utiliza.

O Secretário Regional do Turismo e Transportes, no final de uma visita que hoje realizou ao local, afirmou aos jornalistas que a intervenção se enquadra “numa política de requalificação das vias regionais, nomeadamente para criar maiores condições de segurança, vindo na sequência das intempéries de março passado que danificaram esta estrada”.

Assim, o Governo dos Açores, em conjugação com a Câmara Municipal e com as entidades locais, está a desenvolver um trabalho de requalificação dividido em três grandes áreas, sendo que numa a intervenção está praticamente concluída, noutra os trabalhos estão numa fase inicial e a terceira área será intervencionada brevemente.

A intervenção terá uma duração de cerca de três meses, envolvendo um investimento de cerca de 250 mil euros.

Este investimento, salientou Vítor Fraga, “conjuga os meios que temos ao nosso dispor, nomeadamente os meios próprios, com a ajuda das empresas locais, dinamizando assim também as pequenas empresas e a economia local, que é um dos nossos objetivos”.

“Estamos a falar numa intervenção com um valor estimando de 250 mil euros, que vai diretamente para a economia local da Povoação”, frisou.

“Ao contrário de outros, que apostam em políticas recessivas, em políticas demagógicas, em políticas socialmente injustas, nós apostamos naquilo que achamos que é essencial, que é qualificar as nossas zonas, de forma a dinamizar a economia e proporcionar melhores condições de vida a todos aqueles que usufruem destes meios”, afirmou Vítor Fraga, acentuando que o Governo dos Açores “tem esta linha de orientação”.

GaCS/HB

Esclarecimentos do Secretário Regional do Turismo e Transportes, Vitor Fraga, sobre a greve da SATA

Esclarecimentos do Secretário Regional do Turismo e Transportes, Vitor Fraga, sobre a greve da SATA

Governo dos Açores quer promover e potenciar o turismo de famílias junto do mercado nacional

O Secretário Regional do Turismo e Transportes anunciou hoje que o Governo dos Açores, em conjunto com os operadores, vai dar continuidade e aprofundar a campanha efetuada no ano passado junto do mercado nacional, destinada às famílias, em que a deslocação e estadia das crianças são gratuitas.

Na apresentação do Destino Açores na Bolsa de Turismo de Lisboa, Vítor Fraga anunciou que a campanha não vai ficar por aqui, uma vez que este ano serão proporcionadas “a todos os operadores condições para que tenham na sua oferta um produto muito mais integrado, que vá para além da viagem, mas que assente, acima de tudo, nas experiências que os vários operadores locais têm condições para proporcionar”.

Para o responsável pela pasta do Turismo, pretende-se que este seja um produto “inesquecível para todos, que seja emotivo e traga boas emoções para as pessoas”.

Vítor Fraga anunciou, por isso, que o Governo dos Açores vai disponibilizar a todos os hotéis da Região que adiram à campanha de famílias um pacote denominado “Azorlândia”.

Na prática, trata-se de “um conjunto de equipamentos a que todos os hotéis que aderirem à campanha terão acesso, de forma a proporcionarem momentos agradáveis às crianças” que visitem os Açores.

Vítor Fraga reconheceu a importância do mercado nacional para o arquipélago, uma vez que “ainda representa 43% do fluxo turístico para a Região”, salientando que é preciso continuar a apostar, mas “de uma forma diferente, porque todos sabemos os constrangimentos por que a sociedade portuguesa passa”.

Por esse mesmo motivo, a edição deste ano da BTL marca o início de “uma nova estratégia de promoção do destino Açores para o mercado nacional”, que passa por colocar este destino turístico “acessível a outros nichos de mercado”, que ainda têm poder de compra para visitar o arquipélago.

Vítor Fraga recordou que, num passado recente, o turismo nos Açores era “um setor que não existia”, referindo que foi desenvolvido pelo Governo dos Açores um trabalho conjunto com a iniciativa privada que colocou ao dispor do setor toda a sua criatividade e todo o seu dinamismo e que “hoje coloca o turismo como um dos vetores principais de desenvolvimento da Região”.

Agora, concluiu Vítor Fraga, ao Governo dos Açores “e a todo o trade dos Açores que tem sido incansável em todo este percurso, resta trabalhar e potenciar” aquilo que a Região tem de melhor, ou seja, a “capacidade de saber receber e de provocar emoções e experiências positivas a todos” os que a visitam.

GaCS/HB

Açores entre os locais a visitar em 2013 para maior editora mundial de guias turísticos em inglês

A Fodor´s Travel Intelligence, a maior editora mundial de guias turísticos em língua inglesa e uma das maiores editoras mundiais de publicações do género, elegeu os Açores como um dos 25 locais do mundo a visitar em 2013.

A editora divulgou recentemente o Fodor’s 2013 Go List, incluindo os Açores na restrita lista de destinos a visitar no próximo ano, salientando que se trata de um exuberante arquipélago vulcânico situado sensivelmente a meio caminho entre Nova Iorque e Lisboa, famoso pelo ‘whalewatching’ de classe mundial, pelas nascentes de água quente e por pitorescas cidades e vilas à beira-mar.

Para a Fodor´s, a visita aos Açores justifica-se porque cada uma das ilhas tem a sua identidade fascinante, mas também porque os preços dos serviços são bastante acessíveis.

Na lista de razões para visitar os Açores constam ainda as unidades hoteleiras acolhedoras e o peixe e marisco de excelente qualidade, servido pela restauração.

A editora, apesar de salientar que as praias não são a atração principal do arquipélago, destaca a temperatura do mar dos Açores, temperado pela corrente do Golfo, que convida a um mergulho durante praticamente todo o ano.

Da lista dos 25 locais a visitar em 2013 fazem parte destinos como a Ilha da Páscoa, Istambul, Maldivas, Cidade do México, Montenegro, Mianmar, Sardenha e Eslovénia, entre outros.

A Fodor’s edita mais de 300 guias turísticos de todo o mundo, apostando em publicações inovadoras que oferecem uma combinação de conhecimento e informação precisa e atualizada.

O Fodor’s Go List 2013 está disponível online, através do endereço http://www.fodors.com/go-list/2013/

GaCS/HB

Vasco Cordeiro apresenta medidas para combater a sazonalidade do Turismo

Vasco Cordeiro apresenta medidas para combater a sazonalidade do Turismo O candidato do PS/Açores à Presidência do Governo Regional anunciou, este sábado, medidas para combater a sazonalidade do Turismo, caso de incentivos para a promoção de eventos e um programa específico para formação de profissionais do sector durante a época baixa.
“Uma das medidas é a criação de um programa especializado para a formação dos profissionais do sector que funcionará na época baixa”, adiantou Vasco Cordeiro, ao salientar que este programa, “ao mesmo tempo que reforça a qualidade dos serviços prestados, contribui para a sustentabilidade do sector turístico” fora da época alta.
Vasco Cordeiro falava na ilha Terceira, onde participou num encontro com a Mesa de Turismo da Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo. Em declarações aos jornalistas, o candidato socialista defendeu, ainda, a criação de incentivos para a promoção de eventos fora da época alta do Turismo nos Açores.
Exemplificou com eventos que já existem na Região, como as provas internacionais de surf, mergulho e automobilismo. “Temos de continuar a reforçar essa componente”, assegurou.
Vasco Cordeiro disse, ainda, que o sector tem o desafio da notoriedade como destino turístico, que deriva do facto de se tratar de uma Região relativamente recente enquanto destino de alguma dimensão.
Para isso, pretende apostar em tornar os Açores mais conhecidos como destino turístico, não apenas segundo um modelo de relacionamento e de parcerias com os operadores, mas também para o público em geral.
O candidato do PS/Açores considerou, também, imperioso reforçar o peso dos mercados externos na estrutura do sector, tendo em conta que parte das dificuldades que o Turismo açoriano está a atravessar tem a ver com a dependência do mercado continental nacional, responsável por cerca de 50 por cento do número de dormidas.
“Quando são impostas medidas de austeridade na República, uma das primeiras coisas que as famílias poupam é, exactamente, nas férias fora das suas residências”, recordou Vasco Cordeiro, que defendeu a necessidade de reforçar, cada vez mais, o peso dos mercados externos, apostando em países com grande potencial como a Alemanha, a Espanha, Itália, França e os Estados Unidos e Canadá, não apenas na vertente do chamado “mercado da saudade”.
Na ilha Terceira, o candidato socialista preconizou, também, a necessidade de criar maior diversificação das fontes de receitas do sector.
“Necessitamos de aproveitar os bons exemplos de produtos que são formas de obtenção de receitas e, por esta via, de criação de riqueza e de postos de trabalho”, concluiu Vasco Cordeiro, apontando os exemplos do whale watching, o trekking e o canyoning.

2012-09-29 19:32:06, por PS/Açores

Decisões da República vão penalizar turismo dos Açores

Decisões da República vão penalizar turismo dos Açores

A Secretária Regional da Economia considerou que as medidas de austeridade anunciadas na passada sexta-feira pelo Primeiro-Ministro “vão ter um efeito negativo para o turismo dos Açores”, manifestando-se preocupada “com o impacto que o corte dos rendimentos vai ter no mercado nacional sendo de prever que se acentue a quebra no número de turistas oriundos do continente”.

Luisa Schanderl, em declarações à comunicação social no final da entrega de prémios do SATA Airlines Azores-Pro, recordou que uma das consequências das medidas adotadas para o corrente ano “já provocaram um efeito visível que foi a quebra do número de dormidas no mercado nacional” motivo pelo qual “o aprofundar da austeridade, agora com a retirada de salários aos trabalhadores do setor privado, faz prever que essas dificuldades do mercado nacional não só se mantenham como possam até contribuir para dificuldades maiores na captação de turistas nacionais”.

A Secretária Regional da Economia lembrou que o destino Açores “tem vindo a receber diversas distinções no mercado nacional”, cujo exemplo mais recente foi a eleição da Lagoa do Fogo como uma das praias maravilha do país – na categoria praias selvagens , o que “se adapta muito bem à estratégia da Região de afirmar os Açores como o principal destino de Natureza do país”.

Este tipo de galardões, acrescentou, “são muito importantes pelo contributo que dão ao aumento da nossa notoriedade”, mas “são também relevantes na medida em que atestam o trabalho que tem sido desenvolvido na Região ao nível da promoção ambiental e da preservação da sua sustentabilidade conjugada com o nosso desenvolvimento turístico”.

A governante elogiou ainda a realização do SATA Airlines Azores-Pro, que considerou “um sucesso” por entender que este tipo de eventos, “reforça a qualificação da nossa oferta com a aposta em produtos diferenciados, de grande mais-valia e com elevada repercussão económica”.

GaCS/NM

Açores distinguidos pela qualidade ambiental costeira para um turismo sustentável

%d bloggers like this: